segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Tudo sobre minha vó

Itala Iorillo Giannetti. Justamente pela mais italiana das alcunhas é que, durante a segunda guerra, ela passou a ser conhecida como Dona Linda. Casada com o senhor Gualtiero Giannetti. Família de imigrantes, quase todos artistas. Carpinteiros, pintores, serralheiros...

Dona Linda é a minha avó paterna. Minha maior referência de avós já que com o vô Gualtiero rolou um desencontro e com meus avós maternos, o lado espanhol da família, eu convivi bem pouco.

Dois filhos, seis netos, cinco bisnetos. Noventa aninhos. E já faz pelo menos uns quinze que ela jura que aquele é o derradeiro.

- Ah meu filho, esse é o último Natal da vó sabe...

Conta outra vó. Pois é, tá enganando o rabecão faz tempo. Já enterrou tio, filho, sobrinho, irmão, cunhado e continua firme e forte. Lúcida. As pernas tão falhando, mas a cabeça é de dar inveja.

Tá surda que só vendo. Ou ouvindo. Ou não ouvindo pra ser mais correto.

Vai lá em casa e fica no sofá assistindo programa de auditório com a tv no talo. Acabei de ter uma boa idéia, vou dar Headfones de 91 anos pra véia.

Ela vai achar bem estranho. Eu vou achar bem engraçado. Mas todo mundo vai ficar bem satisfeito.

A vó já tá naquela fase de sair distribuindo tudo que o que tem em casa pros netos. Ela mora numa quitinete no Itaim. Meu pai sempre volta da casa dela dando risada das coisas que ela quer botar no meu apartamento. Logo eu, o netinho hype.

Imagina só o que deve ser o mundo de hoje pra um senhorinha que nasceu em 1916. Que vivia no tempo do bonde, do ferro de passar roupa a carvão, do fogão a lenha. Aliás, ouvir essas histórias da boca dela é uma delícia.

Delícia era o gnochi e um bolinho de batata com carne que ela fazia. Era de comer de joelhos. No Natal ela ainda leva pudim de pão e crispela pro meu pai.

Como toda vó, ela também me dava meia e cueca de presente no natal e no aniversário. E ganhava uns perfuminhos de mim.

Como toda vó, a minha fala umas coisas engraçadas. Fala pijami, automovi, keds e abrigo. Por acaso foi ela que me ensinou a amarrar keds quando eu era pequeno. Me ensinou também a oração do anjo da guarda. Duas coisas tão pequeninhas mas que eu faço religiosamente todos os dias.

Ela vive falando que não aguenta mais ficar por essas bandas. Que tá enchendo o saco do meu avô pra ele vir buscar ela.

Mas a gente também enche o saco dela pra ficar mais um pouquinho.

E aí Dona Linda, onde vai ser a baladinha dos 100 anos?


ps. esse é o centésimo post desse blog

8 Comments:

Blogger Tati said...

Parabéns pelo post comemorativo...
Minha nonna também é assim, mas é hipocondríaca, há 87 anos... Minha mãe lambra dela pedir ao meu avô que pusesse a vela na mão, pois ia morrer imedaitamente... Meu nonno já morreu há 40 anos.... Imagina...
Ela fala coisas engraçadas, também... Fala "tóchico", ao invés de tóxico...

E se finge de surda... Ouve missa na tv em volume máximo mas vai falar mal dela, escondida lá no fundo da casa... Lá vem ela, "falou o que de mim??"

Figura, nos vê e chora, diz que é a última vez que nos vemos...

Também estou pensando na festa de 100, rsrsrs

beijo

8:59 AM

 
Blogger MH said...

Ai que delícia de post! E de vó, né? A minha tbem fala pijami, mas só pode ser gozação... bom, a doida me chama de pintassilga, pintarroxa, colibri, fifi... normal é que não deve ser! mas é hilária.

Estou rolando de rir só de imaginar sua avozinha, tão bonitinha, sentada na sala vendo TV de headphone. rsrsrs

beijo, beibe, parabéns e obrigada por já ter me divertido 100 vezes nesse endereço!

9:44 AM

 
Anonymous Re said...

Que delicia de avó!!! Deste jeito ela chega fácil nos 100...
A minha avó tem 97 e aos 80 ela fez a divisão dos bens entre os netos.... mas depois disso já nasceram outros netos, outros bisnetos e todo ano ela quer fazer de novo a partilha.
A partilha foi feita com etiquetas coloridas. Depois de anos vi isso num epsódio de Mad about you e ri tanto, como minha avó podia ter sido roterista daquele epsódio.
Feliz 100 posts.... espero que fique como essas velhinhas amáveis.... durando muito!!! bjs

12:52 PM

 
Blogger mc said...

você usa Keds????? Que história é essa rânei, neto hype que é hype usa ALL STAR!!!

1:11 PM

 
Blogger Gastón said...

Tati, obrigado pelos parabéns :0) E não é que todo surdo tem uma frequência especial pra ouvir a gente falar mal?


Beibe, porque as avós falam pijami? Será que tinha alguma marca de pijamas com esse nome no tempo delas?


Re, hahahaha, botar etiquetas é ótimo. Minha vó queria me dar uns quadros que pelamordedeus... eu que só tenho foto P&B na parede.


Rââânei, nike, adidas, rebook, all star, bamba, kichute... pra minha avó TUDO é keds. E pro seu governo, dos meus Keds, 5 são all stars.

1:20 PM

 
Blogger Rubina said...

Antes de mais parabéns pelo centésimo post, e por também ter tanta afluência de visitantes. Mereces as visitas. Quanto à tua avó, que velhinha mais querida. Deve contar histórias lindas da época áurea dela. Um super beijo

8:46 PM

 
Anonymous Aninha said...

A Dona Linda é linda mesmo...
Parabéns pelo centésimo post!

9:18 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Parabéns pra dona Linda!! Gastón, meu pai tá quase lá, 80 aninhos lusitanos.. ele tem manias muito engraçadas, só come assitinho Chaves, fala Giovanne "Bronca" ao invés de gronchi, acredita piamente em lobisomem (diz ele q já viu um em Portugal), e recita versinhos como:
"Diga lá ó Caminha,
para o nosso querido rei,
que a terra é rica e formosa
de gente muito generosa"
VIVA DONA LINDA E SEU ANTÔNIO!!!!!
Caia

9:39 AM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter