quarta-feira, novembro 22, 2006

Máximas filosofais

Existe uma máxima, cunhada por um sábio filósofo da música popular brasileira num programa de tv que assisti outro dia e que cabe bem para um começo de post como esse:

“Mulher é um saco sem fundo”.

Essa célebre frase foi dita dentro de um verdadeiro covil feminino, um reduto de progesterona televisiva chamado Saia Justa. Programa que já foi ótimo, mas que hoje em dia tem um time de mal-amadas que nenhuma mulher que eu conheço aguenta assistir.

Mal-amadas à parte, todas elas concordaram com o tal comentário e se assumiram sacos sem fundo mesmo. Deu a unha elas querem o dedo, deu o dedo elas querem a mão, deu a mão elas querem o braço.

Se é compreensivo ela quer que o cara seja mais ogro. Se é um neandertal ela quer um cara que entenda os problemas dela. Se ele é meio a meio, assim não dá, você é muito meio a meio.

É, vocês são difíceis as vezes...

Mas analisando alguns dos meus amigos (e a mim mesmo) tenho enumerado as diferenças entre o homem a moda antiga e o homem moderno. Porque é nesses dois tipos de extremos que residem os maiores conflitos nos gostos femininos.

Em primeiro lugar, moda antiga não é aquele que abre porta, que puxa cadeira, etc... Aliás, até nisso as mulheres discordam de sair no tapa. Se abriu a porta do carro é porque exagerou, se puxou a cadeira é porque é um gentleman.

Claro que elas vão bater boca em busca do ser humano do sexo masculino ideal. E muitas vão confessar seus consentimentos e vistas grossas a muitos costumes nossos, digamos, pouco agradáveis.

Como identificar um legítimo homem das antigas:

Ele vai consertar a porta do seu armário, a mola da sua porta que quebrou e arrumar o vazamento da sua pia. Sabe onde estão os registros, não tem medo de se eletrocutar e se o carro enguiçar, abre o capô pra descobrir onde está o problema.

Esse sujeito quer ver carne no prato 7 vezes por semana. Frango é coisa de viado. Peixe então, só se ele pescou com o dente e cozinhou. O homem das antigas gosta de cerveja. Ele é capaz de beber cerveja durante dias e mais dias sem parar. Esse cara também não liga muito pra roupa. Não té nem aí se tá na moda ou não. Se souber combinar a calça com a camisa já é um grande avanço. Aliás, ele costuma ter roupas de oito, nove anos atrás. Joga futebol com os amigos no fim de semana. Adora filme do Chuck Norris e nega de pé junto, mas assiste novela que é uma beleza. Não usa perfume. Seu desodorante ou é Axe ou é Trés de Marchant. O maior medo do homem das antigas é ver o filho virar gay.

Como identificar um típico homem moderno:

Ele vai reinstalar seu HD, formatar seu computador, programar seu DVD e deixar sua cozinha cheia de eletrodomésticos de última geração. Não sabe onde estão os registros e no máximo troca uma lâmpada queimada. Mas puxa o palm top pra ver o telefone da seguradora que vai mandar um encanador resolver o vazamento embaixo da pia (até lá sau casa já virou um espelho d'água). Aliás, ele não vive sem seguradora. Porque se o carro enguiçar, ele mal sabe onde abre o capô. O homem moderno come carne uma vez por semana e olhe lá. Mas se deixar, manda uma comida japonesa no café, almoço e jantar.

Curte uma cerveja, mas sabe que o mundo não vai acabar amanhã. Gosta de se vestir bem. Isso não quer lá dizer muita coisa porque existe gosto pra tudo nesse mundo. Mas digamos que uma roupa descartada não é necessariamente aquela que está com um rasgo embaixo do braço e sim aquela que não agrada mais. Joga Age of Empires no computador durante a madrugada. Gosta de filmes do Almodóvar, não suporta novela e se cruzar a Regina Duarte espanca até a morte. Tem no mínimo 5 perfumes diferentes. mas geralmente usa um em especial. O maior medo do homem moderno é tomar um cacete do filho no playstation.

Os modernos e os das antigas vivem em perfeita harmonia. Amigo é amigo. E afinal de contas, a gente tem algo que nos une acima de tudo: nosso time de futebol. E mesmo se o meu for diferente do seu a gente é amigo pra poder tirar sarro um do outro na segunda-feira.

Essas diferenças todas ficam pra elas. Que são mesmo um saco sem fundo. E que no fundo, no fundo, também não são nada parecidas.

O que, trocando em miúdos, quer dizer que a gente vai continuar com um ponto de interrogação enorme na cabeça. E se você for daqueles que sabe escutar e entender uma mulher, um aviso:

Já levei um pé na bunda por causa disso.

Aliás, acho que saco sem fundo não é bem o termo certo. Acho que beco sem saída fica mais apropriado.

Nova máxima cunhada por ilustre blogueiro da internet brasileira neste blog tão visitado pelo sexo feminino:

“Mulher é um beco sem saída”.

13 Comments:

Anonymous Rodolfo Barreto said...

Sensacional. E todos os homens que vão ler tentarão se encaixar em um padrão ou outro:

"opa, isso eu faço"
"opa, isso eu não faço"

Onde eu me encaixo? Eu acredito que sou uma mistura dos dois, batido no liquidificador. Mas o liquidificador é de última geração.

Abraço!

8:57 AM

 
Blogger Cláudia said...

Sabe a vela que acendi pra Deus te mandar uma vizinha linda e sexy e sozinha procurando sal pra marguerita?
Então, apaguei...
ah ah ah brincadeirinha
Depois me alongo no comentário sobre os homens, mas se tem uma coisa com a qual concordo integralmente com este post é: ô programinha chato do caramba aquele Saia Justa!
beijo

10:00 AM

 
Blogger Gastón said...

Rods, liquidificador não, multiprocessador ou mixer. Daqueles cromados que vendem na Spicy.

Clau, deixa a vela acesa, e bota o Santo Antônio embaixo d'água pra mim vai? Amordaça ele e coloca sanguessugas também.

10:59 AM

 
Blogger Re said...

Ninguém é fácil de entender... homem é difícil demais também. Corcordo que nós mulheres somos bem mais complicadas, mas vcs não ficam atrás...
E olha que já namorei um cigano surdo-mudo chamado Ramon, que por sinal terminou comigo, pois era prometido para outra.... a nossa vida feminina não é fácil, viu? bjs

11:44 AM

 
Blogger MH said...

eu ia comentar, mas depois do cigano surdo-mudo chamado Ramon, perdi o fôlego...

5:06 PM

 
Blogger Gastón said...

Rê, depois de ler o lance de Japa Escoteira e do Gogo boy vc me aparece com um cigano surdo mudo prometido pra outra? My god...

Mh, vc está totalmente liberada de qualquer comentário depois disso, fica tranquila.

5:39 PM

 
Blogger Cláudia said...

Gastón
primeiro pra Re: pelamordedeus posta essa história do cigano surdo-mudo prometida pra outra!!!

Bem, sobre os homens e as mulheres, breve resumo, generalizando, pq é claro que sempre há exceções:
basicamente, os homens nunca deram conta de segurar a barra sentimental de uma mulher, como nós damos conta de segurar as masculinas.
Homem doente é dodói, se tem problema no trabalho o pau mal sobe e se tem reunião não pode nem atender telefonema dos filhos senão desconcentra. Já a mulher faz tudo ao mesmo tempo agora com o dobro da cobrança, pq ai da pobre que ficar em casa com o filho pelando de febre: já chamam de pouco dedicada.
Então, havia um acordo: eu dou conta da sua vida emocional e da da nossa família e vc dá conta das coisas práticas, das providências que não exigem desgaste emocional.
Funcionava, com alguns probleminhas, mas funcionava.

(continua)

7:07 PM

 
Blogger Cláudia said...

Acontece que o mundo mudou, tudo mudou, a globalização, o buraco na camada de ozônio, o Bin Laden, a Britney Spears que é bi, enfim, com isso, o homem também mudou.
Mudou no sentido de que não faz mais aquelas coisas de homem que a gente espera: matar a barata que nos aterroriza, instalar a luminária, consertar o microondas, programar o videocassete. Meu Deus, nem o videocassete existe mais!
Mas as mulheres continuam dando conta do que sempre deram: o moço dodói, com problemas no emprego (que são SEMPRE muito mais IMPORTANTES do que os seus problemas de emprego), driblando os filhos, a empregada, a sogra etc.
Com a desvantagem adicional de que agora seu marido acha que pra matar a barata precisa chamar o especialista em hómicídios baratais, em vez de jogar logo o chinelão na bicha, esparramar a gosma no chão e pronto.
Por isso que estamos assim, insatisfeitas com a postura masculina atual.
Além de sermos mesmo um saco sem fundo...
beijo!

7:12 PM

 
Blogger Gastón said...

Finalmente uma mulher se manifesta com propriedade. Mas só um adendo: eu seguro a barra do emocional sim. E muito. E tem muita mulher que não segura a barra de ter um homem assim. Assim como tem muito homem que passa longe de mulher que segura a onda do lado prático. Coisas da modernidade.

7:16 PM

 
Blogger MH said...

Gastón, tem toda razão. As mulheres querem alguém que lide bem com esse lado emocional todo, e quando encontram, muitas se assustam. Muitas, mas nem todas, pode ficar tranquilo!

Um dos grandes problemas é que os papéis mudaram tanto, que está todo mundo meio perdido, principalmente os homens. Não podem mais ser como eram, nem podem deixar totalmente de ser. A mulher se adapta a tudo mais rápido (e ainda está difícil se "achar" no mundo de hoje), mas os homens ficaram meio perdidos mesmo. Ninguém é mais o mesmo, estamos todos reaprendendo como funciona. Mas sempre com boas chances de, de repente, dar certo!

7:43 PM

 
Anonymous Anônimo said...

O pior é tentar mesclar tudo isso e o homem sensível da nossa amiga jeca. Já viu?
Lu

9:12 PM

 
Blogger Tati said...

Gastón, você chegou a ler meu post sobre o Homem Sensível? Juro que estamos tentando ao máximo, mas é difícil... é algo hormonal....
beijos

6:40 AM

 
Blogger Gastón said...

mh, essas são difíceis de encontrar viu... e pior é isso mesmo que vc falou. Vivem falando que querem ser compreendidas, escutadas, etc... aih quando a gente escuta e compreende elas te trocam por um Neandertal. Fucking Shit. deve ser pra poder continuar reclamando (sem ofensas).

Lu e Tati, vou lá ler o post e comentá-lo com conhecimento de causa.

8:44 AM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter