domingo, março 23, 2008

Siga aquele capacete.

Outra de casamento. Assunto recorrente porque só esse mês é o terceiro brother meu que se enforca.

Eu desenvolvi uma nova técnica pra me dar bem em praticamente qualquer circunstância dentro de uma festa de casamento.

Porque, analisando friamente, festa de casamento é um baita dum pega pra capar. Pô, arrumar mesa, descolar birita, descolar mais birita, descolar mais um pouco de birita, degustar todos os quitutes, escolher os melhores docinhos, roubar bem casado... cansa gente, é difícil. Muita gente com os mesmos interesses.

Aí eu comecei a reparar num grupo presente em todo e qualquer casório que está sempre anos luz na nossa frente: as tias. Mas não serve qualquer tia. Tem que ter laquê na cabeça. Vai dizer que elas não são figuras obrigatórias? Aquele baita capacetão circulando pelo salão, igualzinho à Hebe Camargo, sabe? Nada me tira da cabeça que aquilo é pra esconder bem-casado.

Agora o que tem a ver se dar bem nas festas com esse bando de coroa?

Acabou a cerimônia, o noivo beijou a noiva, os padrinhos tão saindo, tá na hora de ir pra festa. Quem pega as primeiras mesas sempre? As Hebes. Claro. Óbvio. Por isso é só ficar atento ao movimento delas pra saber a hora exata de chegar no salão e garantir um lugar. Mas calma, não se mistura muito porque elas são meio agressivas, dá uma certa vergonha do desespero dessa veiarada. Vai disfarçando, com cara de quem não tá nem aí e bota lá o paletó numa cadeira. E fica de olho no pratinho de salgadinho que se não elas roubam. Fica esperto. Sem vacilo.

Por falar em salgadinho sempre tem uma tia que vem lá de longe com um guardanapo na mão cheio de quitutes que você não viu em lugar nenhum. Elas farejam essa coisas. Chegam na mesa com aquela cara de vitoriosas. Aí é só fazer que nem rastro de formiga: vai seguindo os capacetes que você chega nos melhores salgadinhos. Sem medo. Vai discretamente, cumprimenta alguém, acena pro horizonte, posa pra uma foto imaginária. Capaz dela entrar no banheiro se notar que está sendo seguida. Informação privilegiada é assim.

O banheiro também tem sua participação entre essas especialistas. Onde já se viu tia que não descobre onde fica o banheiro assim que chega? Aí pode ser mais direto: escolhe uma com um laquezão bem grande e pergunta. Ela fala numa boa.

Outra coisa importante: laquê em doses cavalares é coisa de perua. Toda véia perua tem uma neta gata. Nem os animais dessa história combinam, mas é impressionante. Não sei qual é a fórmula, mas é batata. Aí tem que tomar um único cuidado: observar a mãe. Porque a gatinha em questão é a mãe amanhã e a avó depois de amanhã. Então vai com calma, estuda.

Depois vem a parte dos docinhos. Essa é a hora de ficar observando e escutando. Elas vão provar todos e comentar sobre todos. Com riqueza de detalhes.

- Judite, esse aqui é de nozes.
- E esse aqui é de laranja Ruth.
- Judite, essa trufa tá uma delícia.
- Ruth, pega esse daqui que é de maracujá.

Porque doce de casamento é sempre bonito. Mas é sempre uma icognita.

Ah, e elas levam docinho pro filho que ficou em casa. Mesmo que elas não tenham um filho em casa.

Por fim vem a hora dos bem-casados. E nessa hora aquela bolsinha que ela carrega vira uma sacola do Gato Felix. Isso, claro, além de enfiar vários no paletó do coitado do marido. Que vantagem você leva nisso? Ué, se ela pegou 16 bem-casados, ninguém vai achar ruim dos 10 que você enfiou nos bolsos.

Agora, tia que é tia, legítima, com laquê ou sem laquê, especilista mor em aproveitamento em festas de casamento é a que leva os arranjos de mesa pra casa. Essa é profissional.

E nada me dá mais vergonha no mundo. Mas depois de tanta ajuda, eu faço vista grossa porque elas bem que merecem levar um presentinho pra casa (além dos 40 docinhos e dos 60 bem-casados).

30 Comments:

Anonymous Carol said...

Relato bem fiel do que acontece!

Bolsa? Tem umas que não fazem cerimônia: arrumam um guardanapo e entopem de docinhos e levam na mão, na maior. Fica aquele bando de docinho amassado.

O que eu acho mais hilário é levar o arranjo, hahahaha! Já vi essa cena algumas vezes.

11:06 PM

 
Anonymous Anônimo said...

hahahahaaa...ai, Gasta, não é sempre que comento mas estou aqui todo dia para ver se tem texto fresquinho saído do forno.. tô dobrando de rir.. vc esqueceu de falar que essas profissionais da indústria do entretenimento tb colecional ítens para diversão como óculos anos 60, tiaras com anteninhas, chapéus de cowboy e outras quenquilharias distribuídas em casamentos.. minha mãe não é perua mas definitivamente é uma dessas, ela sempre consegue o que ninguém consegue.. o negócio é segui-las mesmo!!
Muita saudade, Gasta!!
Caia

9:25 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Ei, eu levo o arranjo...mas não uso laquê. O arranjo não é lembrancinha?
Do jeito que a coisa vai pro seu lado daqui a pouco teremos posts de festinhas infantis.
Bjs. Rosana.

9:30 AM

 
Blogger "a" MH said...

hehehe
tem um causo de um membro da família que passou a festa de casamento indo pegar não sei o que no carro, ia e voltava, ia e voltava, até que, na hora de ir embora, a mulher abre o porta-luvas e cai uma enxurrada de bem-casado...

9:42 AM

 
Blogger Gastón said...

Carolzinha, e docinho nos bolsos? No guardanapo fica um marmita de docinho. Bom, como eu mesmo te disse ontem, esse post tem um pouco da minha própria progenitora, a senhora minha mãe. Ela já saiu com uns arranjos... vergonha.

Caia, também to com saudade sua tranqueira. E o seu sobrinho, como está? Pois é. Mas acho que esse lance de distribuir coisa tá saindo de moda. Já tem uns 3 ou 4 casórios que eu vou que não tem isso. Mas as tias se refestelavam. Quando mais bugiganga, melhor.


Rosana, não. Você não leva o arranjo, fala que você não leva o tal do arranjo... Bom, você não usa laquê hoje. Mas é uma usuária em potencial, sinto muito.

Beibe, vem bem a calhar esses assuntos pra vc agora né? rsrsrs. Depois, em off, quero saber que membro da família era esse. Alguém que eu conheça?

10:51 AM

 
Blogger mc said...

eu já fui num casamento que tinha três sentinelas posicionadas ao lado da mesa de bem-casado. O pior é que elas TRABALHAVAM no buffet e a função era entregar 1 bem casado pra cada convidado...

Juro, fiquei tão indignada que pensei até em não comer o dito cujo. Mas pensei melhor e resolvi que o coitado não tinha culpa de nada, e que por isso mesmo era meu dever degustá-lo da melhor maneira possível.

PS - levar arranjo embora de festa é O FIM!!!!!!!!

10:57 AM

 
Blogger ANNA said...

Festa de casamento é um prato cheio para quem gosta de observar os mais bizarros comportamentos humanos...
E vc fala com propriedade! Relato muito fiel!

Beijo
(urb)Anna

1:11 PM

 
Anonymous Ciça said...

HAHAHAHAHA...sensacional!!! Além do laque elas tem vestido roxo ou vinho e são gordinhas...rs
Ahhh...e a voz da Nair Belo...rs

1:23 PM

 
Anonymous Aninha said...

Campanha p/ td casamento ter 5 bem casados por pessoa... Entendeu a indireta??? rs
Depois da Páscoa, eu tenho que me manter distante destes excessos. Acho que vai me restar levar o enfeite... (isso é o fim mm)!

1:32 PM

 
Blogger MH said...

Minha mãe é uma tia da Confraria do Laque.
Não mexa com elas Gaston, isso é um vespeiro (tanto que o cabelo delas parece um ninho de marimbondo).
Elas são piores que a Maçonaria.
Mexer com a Confraria do Laque, é mexer com a morte. Fuja...salve sua vida enquanto é tempo.
Péra aí...mamãe?.. o que você ta fazendo aqui?..pra que essa faca? mamãeee ...arrrrrrrrrggggghhhhhhhhhh!!!

2:32 PM

 
Blogger Gastón said...

Rânei, eu tb já enfrentei isso. Um casório com uma pessoa distribuindo UM bem casado pra cada pessoa.


Anna, não é? Garanto que no seu tinha lá alguma. É que noiva nem vê direito a própria festa.

Ciça, voz da Nair belo é sensacional hahahahaha. Aquela voz de efizema pulmonar hahaha.

Aninha, é o mínimo né? Indireta? Dá uma direta logo e reinvindique seus direitos. Eles tem um ano pra se planejar.

MH, minha mãe tb é dessa confraria aí. Elas certamente se conhecem das reuniões.

3:05 PM

 
Blogger Cláudia said...

Tia legítima não apenas usa laquê para as esculturas capilares como deixam o cabelo branco e usam aquele shampoo que deixa meio lilás.
Um show!

Vi que tem uma moça que carrega os arranjos pra casa que tem o mesmo nome da minha irmã, olha que coincidência!!!

Olha, ideia boa foi do casamento da minha amiga: na porta de saída ficava uma moça distribuindo sacolinhas cheias de doces. Ninguém precisava socar na bolsa. Perdeu parte da emoção, mas pelo menos ningúém precisava comer doce de nozes com gosto de maracujá macetado.

AMEI O POST!

beijo

7:57 PM

 
Anonymous Aninha said...

Vim ler os comentários e agora me deu MTAAAAA vontade de bem casado e docinhos... Ai ai ai...
Parece que qt mais doce a gente come, mais doce a gente come? rs

8:20 PM

 
Anonymous DD said...

Não sei o que é melhor: o texto ou os comentários! rsrsrsrs
Beijão!
DD

11:38 PM

 
Blogger ANNA said...

Gasta,
No meu casamento tinha sim, pelo menos uma meia dúzia de tias dessas... Inclusive umas duas ou três eram minhas próprias tias, tias-avós... Pensando bem, acho que tinha mais, viu... uma dúzia seria um número mais aproximado!!!

Beijo
(urb)Anna

1:23 PM

 
Blogger Virgínia said...

O pior é que elas conseguem manter esse penteado até quando não é festa. Já viu como SP é cheio de tiazonas de capacete por aí. De preferência com brincos de pressão dourados bem grandes e bolsa combinando com o sapato!

Miguelar bem-casado é o cúmulo! Tá certo que custa uma fortuna, mas um por pessoa é desaforo.

Já fui em casamento onde uma mocinha do cerimonial ficava vigiando a mesa de doces, tinha até corda. Só podia pegar depois de cortar o bolo!! Tem doido para tudo...

4:42 PM

 
Anonymous ana julia said...

levar o arranjo da mesa é o fim...

4:51 PM

 
Blogger ANNA said...

eu ja passei dessa fase dos casamentos, agora eh so descasamento...

olha a coincidencia o titulo do se post e do meu! assuntos completamente diferentes, mas tambem se trata de "perseguicao"

10:01 PM

 
Blogger Gastón said...

Clau, pois é, essa tal de Rosana eu podia jurar que era sua irmã. Que coisa né? Agora a ideia da caixa de doces é sensacional. Já soube de casorio que dava caixa com meia-duzia de bem casados pra cada convidado. Achei digno. Mas ia querer levar umas 2 caixas.

Aninha, fui na Cynthia hoje. Pacto de não doce. Fudeu.

DD, certamente os comentários :0)

Anna, tinha blitz de tia no seu casório.

Virgínia, tá brincando? Tinha bedel de doce? Vou te contar, cada uma...

Ana Julia, é o fim da feira. Ou da festa. Ou do mundo.

Anna, fui lá ler. Realmente rsrsr, sincronia total.

10:28 PM

 
Blogger Rodrigo ARRUDA said...

Meu caro, parabens.
excelente texto.
Abraço

9:48 AM

 
Blogger O Segredo da Cinderela said...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.... Pior que é assim mesmo... A mulherada do Laquê aprende cedo pode crer.. e a macharada que quer se dar bem tem que segui-las mesmo... mas com mto cuidado como diz o MH rsrsrs... Pq o MH é especialista nisso hahahaha....
Valeu pela visita no meu blog... linkei seu blog lá....

Bessos.

8:35 PM

 
Anonymous Daniel said...

Olha... Esse texto é hilário cara, parabéns. Tô iniciando um blog, se vc quiser passa lá. Mais independente de qualquer coisa, voltarei aqui sempre. Um abraço.

http://so-pensando.blogspot.com

11:00 PM

 
Blogger Gastón said...

Arruda, obrigado meu caro :0)

Cinderela, O MH é estelionatário de bem-casado, é?

fala daniel, claro que vou passar por lá :0) Volte sempre mesmo. Abração.

10:27 AM

 
Blogger Lala said...

Gastty :-)

1- Sobre levar arranjos: acho bom que as tias levem mesmo. Melhor do que irem pra lixeira no fim da festa ou - pior, bem pior - serem reciclados pela floricultura extorsiva para o casamento da noiva de amanhã, que por sua vez também foi extorquida pelo tal do Rubens.
2- Sobre bem casados: é o fim fazer e regular. Toda noiva que se preza ja encheu a mão no casamento de outro alguém, então que deixe de ser sovina e já entregue embalados pra viagem, SFF.
3 - Sobre as tias: acredite, querido, que tem coisa pior, e essa coisa pior só pode conhecer uma mulher de certa idade, solteira, após o casamento da segunda irmã mais nova que ela. É a famosa frase "Puxa, só sobrou você agora hein? Justo a mais velha....". Acredite, nessa hora você quer ter laquê pra jogar nos OLHOS delas.

Beijo querido, adorei o post!

10:28 AM

 
Blogger Lala said...

Gastty :-)

1- Sobre levar arranjos: acho bom que as tias levem mesmo. Melhor do que irem pra lixeira no fim da festa ou - pior, bem pior - serem reciclados pela floricultura extorsiva para o casamento da noiva de amanhã, que por sua vez também foi extorquida pelo tal do Rubens.
2- Sobre bem casados: é o fim fazer e regular. Toda noiva que se preza ja encheu a mão no casamento de outro alguém, então que deixe de ser sovina e já entregue embalados pra viagem, SFF.
3 - Sobre as tias: acredite, querido, que tem coisa pior, e essa coisa pior só pode conhecer uma mulher de certa idade, solteira, após o casamento da segunda irmã mais nova que ela. É a famosa frase "Puxa, só sobrou você agora hein? Justo a mais velha....". Acredite, nessa hora você quer ter laquê pra jogar nos OLHOS delas.

Beijo querido, adorei o post!

10:28 AM

 
Blogger Gastón said...

Lalinha, amor da minha vida:

1- tô percebendo que você leva arranjos. Confessa.

2- Gênero, número e grau. Bem-casado pra todos e em quantidades cavalares.

3- Fala pra elas assim: pois é, é que eu não sou pra qualquer um (mas joga o spray de laquê com pimenta pra dar um efeito)

10:32 AM

 
Blogger Re said...

hahaahahahah que texto ótimo!
beijos
Re

12:38 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Adorei o texto...
Além das tias vigiarem os doces, salgados e bebidas, tem tb o pessoal que vai dançar... Uma vez eu tive uma crise de risos, pq a mulher q estava dançando parecia um robô, de tão dura... Outros iam até o chão, e fora o noivo q não dançava nadaa..

Bjx

Mily Milets

2:38 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Lala, estou ficando sua fã. Além de sensata, você me parece incapaz de renegar sua irmã.
Bjs. Rosana.

5:58 PM

 
Anonymous Flavita said...

A melhor parte dos casamentos é roubar bem casado. Sempre. E casamentos com "guardiãs" de bem casados são odiosos. Pior foi uma amiga minha que cortou os bem casados para dar amendôas...Não sei como continuei falando com ela até hoje. Ainda não superei o choque...

10:21 AM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter