domingo, fevereiro 24, 2008

Absolutamente sóbrio.

Depois de visitar a residência de muitos amigos meus, uma questão vem me intrigando: porque todo mundo tem uma ou mais garrafas de Vodka Absolut em casa e ninguém abre? Alguém me explica esse fenômeno?

Tudo bem que as pessoas não chegam em casa e dão um tapa no beiço e nem fazem caipirinhas antes de dormir. Ou eu quero crer que elas não fazem isso. Mas, uma vez na vida, será que a gente vai encontrar alguém desapegado o suficiente pra compartilhar com os convivas?

Toda vez que rola algum evento e surge a necessidade de levar Vodka, todo mundo desenterra aquela Smirnoff das profundezas do freezer, aquela esquecida, embaixo de uma crosta de neve eterna. Mas a Absolut que é bom fica lá, guardadinha, intacta, invicta e ilibada. Tá, a diferença de preço entre as duas é de mais ou menos uns 50 paus. Mas um dia alguém tem que beber aquilo. E, de preferência, dividindo com outras pessoas porque, nesse caso, o egoísmo leva ao coma alcoólico.

Aí neguinho fica guardando pra uma ocasião especial. Mas em ocasião especial a gente abre vinho, estoura champagne, bebe cerveja, essas coisas. Vodka não é bebida de comemoração. É bebida de pé na jaca, de caipirinha, de batida, de drink com guarda-chuvinha, etc...

Tenho um casal de amigos que tem simplesmente todos os sabores de Absolut. O último que faltava eu trouxe pra eles do freeshop. Tá lá aquele bando de garrafa, tudo fechada. É um mausoleo de birita. O monumento ao bêbado desconhecido. O túmulo do Mussum: cheio de Absolutis (nossa, essa doeu).

As pessoas tem dó de abrir, já viu isso? Parece minha sobrinha com a caixa de lápis de cor dela.

Já uma outra amiga resolveu o problema com uma espécie de catarse alcoólica. Ela abriu a garrafa e bebeu uns tragos. Mas, pra compensar o sacrilégio, ela tem enfeites, copos, mini-garrafinhas, tudo da Absolut decorando o quarto. Parece os aposentos da Heleninha Roitman. Os pais já estão olhando torto.

E eu?

Bom, eu tenho 4 garrafas no meu bar. Todas de sabores diferentes.

Fechadas, claro. Acha que eu tô aqui convencendo você a me servir das suas porque?

18 Comments:

Anonymous Ciça said...

Hahahaha...entendo isso perfeitamente. Como meu ex-namo trabalhava na Bacardi eu ganhei várias bebidas legais. Qdo ainda namorávamos eu dividia a Grey Goose com as pessoas já que tinha reposição automática. Grant´s 12 anos era água em casa. Jack Daniel´s Single Barrel era apreciado por todos os frequentadores. Enfim, era uma festa! Agora que eu não o tenho mais...Ai de quem tocar nos 4 dedinhos que sobrou da minha Grey Goose...Humpf!

9:51 AM

 
Blogger mc said...

Pra mim vodka não tem que ter sabor. Aqui não é a Suécia, onde as pessoas estão acostumadas a tomar a vodka pura. No Brasil neguinho mistura vodka com suco, refrigerante, yakult..... SIM, yakult.

Rânei, não quero suas vodkas. mas quero suas pizzas. Rola?

9:56 AM

 
Anonymous Fernanda Salgado said...

Pois então. Recentemente um SENSACIONAL amigo nosso fez na casa dele uma tarde de degustação de absoluts. Eu não participei porque estava trabalhando... Você não participou porque estava trabalhando...

Essa coisa de ser responsável acaba com nossa vida bêbada! E viva Mussum!

9:58 AM

 
Blogger Rodolfo Barreto said...

A minha geladeira é a Sibéria, com uma população demográfica alimentícia na média de 1 habitante a cada 2300km. Lá, habita uma garrafa de Absolut que chora de solidão. Ela até abriu mão de seu perfil inatingível e resolveu se abrir socialmente, mas até agora só conseguiu se relacionar com uma lasanha da Sadia.

12:31 PM

 
Blogger Cláudia said...

Gasta
meu então marido ganhava bebida de montão, até que alguém sacou que ele era abstêmio.
Aqui em casa tinha trocentas garrafas de vodka (porque um dia ele mencionou vagamente que a única coisa que ele tomava, uma vez na vida outra na morte, era vodka - pura), todas alegremente consumidas em caipiroskas nas pizzadas - aquele evento ao qual você raramente comparece, pra não dizer nunca - pós-separação.
Agora elas acabaram, só rola mesmo Smirnoff.
Quando eu me casar de novo, e será com um bili, vamos todos tomar apenas Absolut. E lá na Suécia!
beijo

2:01 PM

 
Blogger "a" MH said...

hehehe
aqui tem de tudo, mas garrafa fechada só de vinho! Ah, não, tem uma absolut pequenininha que a minha irmã doou, tá fechada, claro. E acho que tem sabor alguma coisa...

é só vir e se servir à vontade!

3:19 PM

 
Anonymous Tôca said...

Então quer dizer que vai rolar uma festinha na casa do Gáston na sexta feira, agora. Isso que eu entendi? Absolut a vonts? hahaha! Grande Abraço, Man!

3:29 PM

 
Blogger Gastón said...

Pois é Ciça, tive uma ex que o pai era dono de uma fábrica de cosméticos. Eu tinha toneladas de shampoo de todos os tipos em casa. Legal né? Foi super útil pra mim.

Rânei, mi pizza, su pizza. Aliás, precisamos marcar uma né?

Pois é Fê, perdemos essa chance única. E olha que esse nosso animgo SENSACIONAL tem vááárias garrafas.

Rods, a sua geladeira tem uma garrafa de smirnoff e uma de agua da torneira que eu tô ligado.

Clau, faço votos que seu marido seja um sueco bem rico e que tenha uma irmã loira e bem peituda pra vc me paresentar e todos sermos uma familia bem lega e bem bêbada.

Beibe, isso é que é amizade. Olha lá, e vai abrir uma que foi presente!

Tôca, afaste-se dessa garrafa! Mas pode pegar a Smirnoff lá do freezer.

6:26 PM

 
Blogger MH said...

Eu estou numa fase STOLICHNAYA.
Acho mais legal que Absolut.
E mais vale uma Stoli aberta que 10 Absolut fechadas.

Quanto a Ciça...ela trocou o pé na jaca por um pé na bunda.
hahahahahahhhhhhhha

6:55 PM

 
Anonymous Aninha said...

Olha... em casa tem Absolut Vanilla que pode ser consumida pura ou em caipirinhas. É só fazer!
Acho que a gente podia combinar 1 reuniãozinha, que tal?

9:17 PM

 
Blogger ANNA said...

Confesso: tb tenho 2 fechadas, uma delas congelada. Mas nao abri por falta de oportunidade... E nunca tinha pensado nisso. Bom saber que nao estou sozinha no mundo.

9:32 PM

 
Blogger Gastón said...

MH, e Balalaika? Pra tomar com tang de uva? Ou pra colocar no tanque do carro e dar um rolê?

Aninha, eu to dentrissimo. E a gente pode pegar receitas de drinks na internet e fazer.

Anna, bem vinda ao clube dos que miguelam absolut :0)

10:15 PM

 
Blogger Keep walking said...

gasta, vc ja experimentou a NATASHA? É, aquela de garrafa de plastico...Qdo vc e a MC combinarem a pizza, mando uma!

10:50 PM

 
Blogger mc said...

rânei, vc não pegou a indireta?
preciso falar que vc já foi mais rápido, viu...

9:08 AM

 
Anonymous Ciça said...

MH tá engraçadinho...me zoando no blog alheio...

11:26 AM

 
Blogger Léo said...

SENSACIONAL!!!

Belo artigo sobre as exóticas Absoluts saborizadas...

Em tempo, quando o amigo sensacional fizer uma nova degustação de absoluts, sinta-se convidado... Vc sera avisado!

Dicas:

Absolut Mango com abacaxi
Absolut Citron com Siriguella
Absolut Mandarin com morango

a Peppar, tem que ter raça e beber pura.

Saudações.

6:52 PM

 
Blogger Gastón said...

Keep, balalaika, natasha... imagino a dor de cabeça master no dia seguinte.

Rânei, me fiz de louco. Vc tb já foi mais rápida.

Ciça, o MH é um grande sujeito, vc deveria dar mais ouvidos a ele.

Leo, meu amigo mais altruísta e benevolente de todos. Eu levo os petiscos.

10:48 PM

 
Blogger *juju* said...

pô, me senti até um pouco excluída... eu tinha um amigo que só me servia absolut. fazia questão, o moço.


(mas confesso que depois de três anos e todos os sabores degustados, descobri o porquê.)

1:00 AM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter