terça-feira, setembro 04, 2007

Pisão no calo.

Quando eu ainda era Gastonzinho, um moleque franzino, cabeludo e encapetado, estudei num colégio onde o uso de uniforme era obrigatório. Até aí, tudo normal. Escola de freiras, de classe média alta paulistana, cheia de regras, tabus e frescuras. Sim frescuras. Ou seriam manias? As vezes acho que tava mais pra pentelhação mesmo.

Uma coisa que tirava minha mãe do sério era o fato de sermos obrigados a usar tênis preto para os dias comuns e tênis branco para a educação física. Logo o tênis branco pra molecada jogar bola num campo de terra? Claro né, freira não tem filho. Se freira não tem filho, logo, ela não compra tênis pro filho que ela não tem. Se ela não tem filho e não compra tênis por filho que ela não tem, logo ela nunca botou a pança num tanque pra esfregar um legítimo e encardido tênis de criança que tinha parte com o demo.

Detalhe que naquele tempo o Kichute estava no auge da moda. Todo moleque tinha um. E não é que as freirinhas determinaram que tênis preto podia, mas desde que não fosse Kichute? Não dá vontade de enfiar uma bica numa delas? Eu quase fiz isso, mas isso é papo pra outro post.

O único tênis todo branco (tinha que ser inteirinho branco) do mercado de calçados era o Bamba. Um negócio vagabundo, feito de lona e que durava não mais que dois meses nos meus lindos e devastadores pezinhos. Bom, minha mãe acabava comprando uns 3 ou 4 pares durante o ano letivo.

E quando alguém aparecia com o Bamba novinho em folha, doendo os olhos de tão branquinho? Logo tinha um fila de espíritos de porco pra dar um pisão no seu tênis e "estreá-lo". Claro que a alma suína também me pertencia. Não podia ver um tênis limpinho pra ir lá dar minha carimbada.

O tempo passou, eu criei juízo, foi se a escola, a faculdade, a pós, outra pós, muitos empregos e chegaram os 30 anos.

Nesse domingão de sol eu, Gastonildo, fui a uma grande loja de departamentos especializada em artigos esportivos. Lá me encantei por uma chuteira society da nike. Ela parecia mais um tênis e, aproveitando que tá na moda usar chuteira no dia a dia, não tive dúvida em comprar.

Para o mulherio com baixo índice de conhecimentos futebolísticos, futebol society é aquele que o seu marido (namorado, pai, amigo, cunhado...) joga naqueles campos de grama sintética na quarta-feira a noite. A chuteira pra jogar nesse tipo de piso não tem aqueles pinos (que a gente chama de travas) no solado. Essa é para jogar em futebol de campo de grama de verdade.

Mas, voltando ao meu novo calçado, hoje resolvi ir ao trabalho com ele nos pés.

Chuteira branquinha, com detalhes em cinza e o logo da nike em vermelho, me fez lembrar dessa história dos pisões da época de colégio. Ainda bem que esse tempo já vai longe

Entrei no elevador com meus colegas de agência.

- Aê, tênis novo.
- Eeeeeehh, tênis novo.

Pois é, tem duas marcas de sola de allstar e uma de sapato de surfista no meu pisante novinho.

Matando saudade do pré-primário.

27 Comments:

Blogger Fabiana said...

Gasta, eu tbm era espirito de porco e pisava no tenis novo ou limpo dos outros. Alias...eu ainda piso.

bjk

1:34 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Pior do que o bamba branco era o bamba preto; sim, ele existia, quem não lembra é porque não teve que usar. E isso já na época do Olympikus. Quando tinha que comprar tênis pro colégio, por mais eu insistisse não tinha jeito: voltava prá casa com o tal Bamba preto. E o bicho era tão feio que acho que a galera nem se incomodava em estrear...

Leitor fantasma.

9:41 AM

 
Anonymous e. said...

pq nóis sômo... perverso :c)

9:48 AM

 
Blogger Gastón said...

É fabi, quando eu for por Rio vou com um bem velhinho e surrado ;0)

Ghost, tinha bamba preto? Vixe, devia ser um estrupício. Feliz da molecada hj que tem all star de todas as cores. E escolas menos pentelhas. Vc já anda com um lençol branco? Não devia combinar né?
;0P

10:26 AM

 
Blogger Gastón said...

e. sua sola tá aqui. Vou me vingar na sua coleção de sapatos, ma aguarde.

10:27 AM

 
Blogger MH said...

ê maturidade... rs

Sabe a frase "boys will be boys"? Ela é real e eterna.

Vc me fez lembrar do meu bamba medonho, de uma alpargata verde-bandeira da OP, do meu all star de cano alto "dálmata" (siiiiiiiim, branco com manchas pretas!) e outras belezuras da minha infância...

10:37 AM

 
Blogger Fernanda said...

estou acompanhando e lembrei que quando mais nova passava pelas mesmas brincadeiras... tambem estudei em um colégio que exigia o uso do tênis preto com o uniforme e branco pra educação física, como era uma espoleta minha mãe me fazia lavar o tênis!!!rsrsrs o bamba era horroroso! depois que surgiu o olympikus a vida melhorou. era colocar na máquina de lavar e saía limpinho!

10:38 AM

 
Blogger urbenauta said...

Gasta:
Eu usava papete com meia! Pelo menos ninguem pisava no meu pé!

12:51 PM

 
Blogger Cláudia said...

A gente pisava (com força) e gritava SELINHO!!!
Era universal, porque eu fazia isso em Niterói e depois em Brasília.

As freiras agora não exigem mais a cor do tênis, acho que se contentam em ver os alunos calçados. Isabela vai logo de papete e meia, junto com uma calça de moleton que eu não usaria nem pra lavar o banheiro de casa, e a camiseta que eu fiz pra ela na oitava série (ela tá no terceiro ano), com uns furinhos aqui e ali... pra você ver como as freiras mudaram!

Ainda bem que as chuteiras são de couro né? Pensa ter de largar sua chuteira novinha na mão da Jô, pra lavar?

beijo

2:50 PM

 
Blogger Ana Téjo said...

Poxa! E eu só fico sabendo disso agora, às cinco e tal da tarde?! Sacanagem! Por que meus amiguinhos do pré não me avisaram antes? Prepare-se porque eu também faço questão de dar o meu pisão.

5:18 PM

 
Blogger Gastón said...

Beibe, boys? Pois te digo que quem pisou no meu pé foi uma mocinha que senta aqui na minha frente e que atende pela alcunha de erica. Além dela, claro, o pentelho do Rods.

Fernandinha, pois é. Depois que a rainha lançou aquele de couro, minha mãe deu graças a deus.

Urbe, impensável isso na minha escola. Aí não iam pisar no meu pé, iam pegar no meu pé.

Clau, é mesmo? Só queria avisar que todo moleque que usa boné no Pio XII tem que agradecer a um menino chamado Ricardo Moura, meu amigo, que usou o brilhante argumento na época em que os bonés eram proibidos: se essas freiras usam toquinha, porque eu não posso vir de boné?

Ana, eu troco um pisão por um plastiquinho. Topas? Heim, heim, heim?

6:00 PM

 
Blogger Cláudia said...

Gastón, não vejo os moleques de boné por lá não viu? Acho que essa modernidade toda ainda não rola.
beijo

6:23 PM

 
Anonymous Anônimo said...

favor passar na secretaria...a Dora vai anotar no livro de ocorrencias....assinado, sister Rogéria.

6:38 PM

 
Blogger angela said...

ahhahaha, eu tb usava bamba branco, e meu pai me obrigava a lavar, pq ele vinha laranja da terra da quadra do colégio, affff.....e nos dias q não tinha educação física eu usava um tênis preto de couro pavoroso!! meu pai se recusava a comprar um kichute prá mim pq era coisa de menino, affff......

11:29 PM

 
Anonymous Michel said...

Cara as vezes tenho vontade de comprar um kichute só para amarrar na canela e claro usá-lo sem meia pra jogar bola.
Belas lembranças

11:35 PM

 
Blogger Tati said...

Gente, tô chocada com essa memória, menino.... Eu me lembro bem de usar bamba, mas não de ter restrição de preto ou branco! lembro de usar polaina e pular elástico de sainha, hahaha... E lembro que tinha que usar saia na educação fisica, onde já se viu, né?
bj

9:43 AM

 
Blogger Tudo ou nada ... said...

Muito bom este post, me fez lembrar que os meus bamba sempre furavam na ponta, onde fica o dedão. Ficava puto pq o resto tava novinho e só tinha o furo, que ódio.
Kichute era minha paixão, minha mãe engraxava que ficava um brilho só e se alguém pisasse eu dava uma bicuda na canela, pq com aquele borrachão ninguém mexia rs.

Abração

9:54 AM

 
Blogger Rodolfo Barreto said...

O bacana, Gasta, foi que isso aconteceu dentro do elevador. Nada mais primário do que isso.

Assinado,
All star azul.

11:18 AM

 
Blogger Nanda B. said...

Eu PRECISO ver uma foto de gastonildo encapetado e cabeludo usando tenis branquinho e conjunto Adidas!!!!

11:20 AM

 
Blogger Carol Contreras said...

Se você eu já tinha dado uma bicuda nessa freira. Minha mãe fica pê da vida quando eu quero tênis branco. Por isso só uso chuteira preta.

Beijo

11:26 AM

 
Blogger fe-blog said...

oi gaston tudo bem eu sou aluno da Tati ela me recomendou ver os seu blog e eu gostei muito algumdia tomar que eu tenha um blog igual o seu falou

11:30 AM

 
Blogger mc said...

Rânei, blutú de novo! Tava pensando nisso esses dias.

Tênis branquinho e limpo é nerds, rânei. Bacana é ter cara de usado.

3:39 PM

 
Blogger Gastón said...

Sister Rogéria, vc por aqui? Hahahaha, foda é saber quem deixou esse recado. Algum rebento do Pio XII...

Ô Angela, seu pai não te deu um kichute? Sacanagem...

Michel, é mesmo cara. A gente amarrava o cadarço na canela porque era muito grande... boa lembrança.

Tati, obrigar as meninas a usarem saia na educação física foi uma coisa que eu nunca entendi naquele colégio. Cheio de pudores... se bem que naquele tempo criança era só criança mesmo. Não tinha essa sacanagem de hj em dia.

Tudo ou nada, realmente um kichute impunha aquele respeito por onde passava. Saudades desse tempo.

Rods, seu pulha. Vai pisar no pé da sua mãe.

Nandinha, qualquer dia eu publico uma foto minha criança. Eu tinha uma no meu outro blog. Vou tentar resgatar.

Carol, eu esqueço que agora menina tb joga futebol :0)

Fala Fe, que bom que vc curtiu meu blog. Venha sempre me visitar por aqui. O negócio é escrever bastante. Assim seu blog vai bombar de gente.

Rânei, stay conected ;0) O meu tá ficando imundo já. Ana Tejo tentou um atentado contra ele hj tb.

5:13 PM

 
Anonymous tatiene "zé" said...

aaaaa! muito bom! aliás o tiago tá precisando de uma chuteira nova (ele joga às quintas, quarta ele assiste o corinthians perder na TV, rs)
e... o que seria "sapato de surfista" não consigo imaginar o modelo e muito menos a marca que deixa!

beijos saudades VAMOS ALMOCAAAAAAAARRRR

6:26 PM

 
Blogger Ana Paula said...

Caraca... Voltei no tempo com seu post... Bamba! Kichute ainda existe - ando pensando nele como alternativa para meu filho, um destruidor de sapatos. Me lembrei dos chatos que pisavam no meu tênis novo... Selo... Ai, eu, fresca, detestava... rs rs rs
Também estudei em colégio classe média de freiras... Só que adolescente, em Recife e por seis meses... Seis longos meses... Tb quis enfiar porrada em algumas delas...

3:01 PM

 
Blogger Gastón said...

Tati, sapato de surfista são aqueles da osklen, sabe? Meio botinha? Ah, coisa de surfista...

Ana, kichute existe? Tem tamanho 41, será? Rsrsrs. EU estudei em colégio de freira a vida toda. 12 longos anos...

6:54 PM

 
Blogger Nana said...

Também estudei em escola de freira, mas o tênis de lá tinha que ser azul marinho com detalhes brancos. na época que o redley tava na moda, queria um pra ir pra escola. Só que não podia, porque tinha uma listrinha (inha mesmo, bem fininha) amarela ou vermelha. Ah, e a meia também tinha que ser azul marinho. A calça era de helanca azul marinho com DUAS listras brancas. Tinha que ser duas listras, daí que você não podia comprar calça da Adidas, tinha que ser da malharia que tinha conchavo com as freiras. Né mole, não!
Ah, e sapato de surfista é o que? Havaianas?

3:41 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter