terça-feira, julho 03, 2007

Onde houver um só espaço vazio.

O Bibelot é uma das maiores pragas decorativas existentes, pertencente a casa de mães, tias e avós de senso estético duvidoso e hábitos imperdoáveis.

E praga é o termo mais correto. Porque isso se espalha pela casa das pessoas dominando cada cantinho vago. Tem um espacinho ali? Bota uma tartaruga. Outro lá? Enfia uma menininha no balanço. Opa, ali tem um vazio. Bota um ganso. Mas que desperdício, olha aqueles 2 centímetros quadrados entre a borboleta e o gato de botas. Põe ali uma pomba.

É o zoológico dos infernos.

Sabe gremilin? Então, é isso. Se quebrou um, aparecem dois no lugar. Agora imagina se a Jô trabalhasse numa casa cheia de bibelots... Epidemia.

Mas as vezes as pessoas são obrigadas a conviver com isso por toda uma vida. A casa dos seus pais é a casa dos seus pais. Vale o gosto daquela sem noção da sua mãe.

Tenho um amigo, por exemplo, que divide moradia com 264 pessoas. Os pais, a irmã e mais 261 bichinhos de porcelana. Pois é, a mãe dele é dessas chegadas num enfeite. O engraçado é que eu conheço bem mais de uma pessoa cuja morada dos pais é abarrotada de tranqueiras. Esses são os mais sofridos, coitados. Quando vão morar sozinhos não botam nem vaso em cima da mesa de tanto trauma.

Eu tenho aflição de entrar em casa cheia de bibelots. Eu não consigo deixar de pensar no trabalho que deve dar limpar aquilo tudo. Tirar todos os negocinhos, limpar a mesa, limpar os negocinhos, colocar tudo de novo... ah não, sai pra lá. E, geralmente, quem coleciona bibelots tem TOC. A pessoa tem uma ordem certa para todos os 597 bichinhos. Experimenta colocar o bambi atrás do ratinho cego pra você ver. A porrada come solta.

Casa cheia de bibelots dá medo. Primeiro porque eu tenho receio de esbarrar em alguma coisa. Fico tenso. Depois, porque parece que tem uma arquibancada de cachorrinho de porcelana te olhando no sofá. Aqueles olhões compridos, chorões, todos te observando. É tanto bonequinho junto que me sinto numa obra do Nelson Leirner. Fala a verdade é meio aterrorizante, náo é? Imagina você vendo televisão, com as luzes apagadas, de pijama, na sala. Aí, de repente, olha pra cima e tem um monte de bibelots de olho em você. Aí um deles some e aparece em cima da mesinha de canto. É o Chucky.

E a minha avó que tá achando que vai bater com as dez amanhã e resolveu fazer a partilha dos bens bibelosísticos dela?

- Não Vó, a senhora vai até os 100 no mínimo. Guarda essa família de porquinho feliz com a senhora.

A gente vai escapando como pode.

Acontece nas melhores famílias. Quem não tiver uma maníaca por bibelots na sua, que atire a primeira joaninha de biscuit.

45 Comments:

Blogger Leonardo said...

Aqui em casa são os quadros.
Muitos... Milhares.

e a cada dia que passa, sobra uma parede pra mais um...

Serei adepto das paredes limpas, quando morar só.
auiehaehuae

abs.

1:10 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Minha sogra me deu cem borboletas com ìmã atrás para grudar na geladeira. Sem comentários.
Bjs. Rosana.

7:15 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Putz, do jeito que sou desastrada ia acabar com tudo em 2 dias, quando a Jô tá indo com a farinha já tô voltando com o bolo..
bjjj, Caia

9:15 AM

 
Blogger San said...

Aqui em casa tivemos um upgrade reverso nessa história toda.

A nossa casa anterior era cheia desses gremlins, inclusive vários citados em seu texto.

Quando mudamos para essa nova casa, eles vieram, cuidadosamente embalados, e tenho certea que foi por causa deles que nossa mudança foi caríssima!

Mas, na contramão de todas as probabilidades e felicidade geral da nação, meus pais ( mais velhos e consequentemente mais propensos ao uso de bibelôs )deixaram de lado as 27 caixas de tranqueiras, doando para pessoas mais necessitadas.

Não vivemos num ambiente completamente clean, claro, velhos hábitos. Mas só não dar de cara com aquela pata rosa de avental do lado do Ganso branco gigantesco na cozinha é um alívio pra minha saúde mental e arquitetônica.

9:38 AM

 
Blogger urbenauta said...

Bibelot... NÃO! PELO AMOR DE DEUS! Deveriam inventar um descarrego para os bibelots do mundo! Eu tinha uma vó louca (já morreu) que conversava com os dela! O papo era mais ou menos assim:
- O sapinho querido, eles não vieram aqui para te envenenar! Calma querido eles são amigos...
Eu só ouvia a voz da minha vó, eu sempre quis saber o que o sapo falava para ela...

9:49 AM

 
Anonymous michel said...

Putaquelospariu! sai fora desses mosntrinhos que não parar de te olhar atravessado.
É por isso que tenho três gatos treinadíssimos para atacar o 1º bibelot que entrar aqui em casa.
Cruz Credo!

10:27 AM

 
Blogger Keep walking said...

E qdo a colega di sirviço resolve fazer, na mesa de trablho que divede com vocês, uma exposição permanente de seus bibelozinhos? PÂNICO total
(vai no blog que vc vai entender)

Pela campanha LESS IS MORE, pelo o amor!

10:39 AM

 
Blogger Gastón said...

Leo, isso quando não resolvem aumentar um cômodo na casa só pra acomodar mais uns quadrinhos.

Ro, você tem um borboletário na cozinha ou uma geladeira daquelas de 2 portas enooooormes?

Caia, quer dar uma faxina lá no meu apartamento? Aí eu escrevo sobre você.

San, legal se desapegar dessas coisas. Mas vocês espalharam bibelots pelo mundo! Putz...

Hahahaha, Urbe, ela conversava com o sapinho? Você não visitava sua avó com muita frequência né?

Michel, isso mesmo, treina os bichanos para o caso de ataques.

Keep,pópará! Se você estiver se referindo a brinquedos na mesa de trabalho vai comprar briga com todo o mercado publicitário, designer e adjacências. Bibelots não, brinquedos no trabalho sim.

12:06 PM

 
Blogger Fabi said...

Gasta , eu detesto bibelot, só de imaginar o trabalho que dá limpar, fico apavorada. Não é nem um pouco prático. A minha casa é totalmente a prova de crianças e estabanados.

12:18 PM

 
Anonymous Re said...

Eu sempre dizia: - Mãe, pra que tanta tralha? Você guarda até brinde de festa!
Aí um dia chamou um decorador para arrumar os bibelôs dela e a primeira coisa que ele fez foi jogar tudo fora, mas quando o moço foi mexer num papagaio de louça que ela tem... minha mãe se transformou... tira todos, menos o papagaio! este só sai daqui quando eu morrer....
E ela sempre diz para mim e para a minha irmã: - Olha, quando eu morrer, não joguem fora este papagaio, vendam, guardem, mas nunca joguem fora... acho que é algum talismã, ou sei lá, porta-alma.... vai entender as mães....

1:02 PM

 
Anonymous Alice said...

Eu tenho umas tranqueirinhas aqui no meu quarto, mas nada que assuste. A epidemia aqui é (como não poderia deixar de ser) fotografia.
Tinha um moooonte de porta-retratos aqui no meu quarto, até minha mãe usar minha rinite alérgica como desculpa para transferí-los para o outro quarto.
Se porta-retratos eu ficava com preguiça de fazer o ritual (tirar, limpar o local, limpar um por um e colocar de volta), imagine bibelôs!

1:04 PM

 
Blogger Cláudia said...

Eu tenho horror é daquelas geladeiras cobertas de ímãs, credo!

Re, no papagaio deve estar a chave de um cofre num banco suíço, onde ela guarda milhões de euros. Guarda o papagaio!!!!

1:05 PM

 
Blogger MH said...

tenho medo, muito medo. Na verdade perdôo um ou outro, escondidinho na estante, se for souvenier de uma viagem legal, sei lá. Mas co-habitar com esse população zoiúda, nem pensar!

3:50 PM

 
Blogger Anna said...

Afff!
Minha mãe tinha um monte dessas coisas!!!
Acontece que o número dos bibelôs foi sendo reduzido à medida que eu crescia... ou porque eu os quebrava, ou porque a convencia de sumir com eles.
Só tem um que até hoje eu tenho dó de pensar que se quebrou (tá, ele não quebrou sozinho, fui eu... mas sem querer, juro), era um gato branco de louça... Não me pergunte por que, mas eu gostava do gato. JAMAIS colocaria ele na minha estante, mas gostava... vai ver porque ele era bem "clean", todo branco, de olhos cinza bem claros (discretíssimo mesmo).
Eu volta e meia ganhava uma porção de anjinhos... Eram fofos, mas sem chance de ocuparem minha estante, principalmente pela dificuldade de limpar o local com eles lá... Achei uma técnica infalível de dar conta deles: Minha sobrinha de 2 anos adorou brincar com aquela convenção de anjos... pena que ela quebrou quase tudo, pena!
Beijo, Gastón.

5:07 PM

 
Blogger Rodolfo Barreto said...

Quando o assunto é bibelot, minha madrasta é Romário: já tem mil, mas ainda quer mais.

5:16 PM

 
Blogger angela said...

aff, meu pai é campeão, tu fiz até um álbum só das coleções dele, milhares..daí qdo casei, claro q ele meu de presente vários bibelôs, q com o tempo e jeito, fui substituindo pelos brinquedos da Sofia, haha..agora tem boneco de plástico em tudo qto é lugar, mas bibelô, nenhum! o último se for prá dar lugar ao Shrek!

7:28 PM

 
Blogger Rubina said...

lololol Pois é Gastón, casa da mãe tem bibelot. Eu tinha imensos no meu quarto mas dei uma limpeza e foi tudo à vida. A minha mãe seguiu a mesma filosofia. Não há saco que aguente tanta bicharada e tanto pó. Beijo

7:35 PM

 
Blogger Keep walking said...

antes fossem brinquedos bacanas...A eles, dou maior apoio, tenho uma bola 8, daquelas que vc pode fazer pergunta, sabe? Tenho um celular de pelucia (trabalho na área), vário apetrechos, mas nada que quase pânico ou alergia....

8:08 PM

 
Blogger Vicky Meiotta said...

Como tenho forte tendência a TOC, me proibo de gostar de qualquer item que caracterize um bibelot! Eu super seria aquela que ia ficar mal de cabeça de ver que a empregada colocou o Bambi atrás do ratinho cego!
AI, pra ser sincera, to transtornada só de pensar!

p.s. conheço um caso - REAL - ótimo de uma mulher que etiquetava o móvel. Assim, o bambi ia EXATAMENTE em cima da etiqueta bambi e assim por diante...

3:41 AM

 
Blogger Gastón said...

Fabi, minha casa é que nem a sua. E olha que eu tenho uma pessoa que testa minha casa todas as semanas, a Jo.

Rê, qual o segredo do papagaio? A Clau deu uma explicação ótima.

Alice, porta retrato é legal. Mas nada em quantidades absurdas é recomendável ;0)

Clau, eu tenho mania de íma. Mas, como sou designer, só tenho ímas cool. E estão harmoniosamente distribuídos. Não tem biscuit, só tem obra de arte, cartaz de filme, etc... Afinal de contas, na minha geladeira vermelha não entra qqr coisa.

Beibe, souvenir de viagem, miniaturas, isso tudo vale. O problema é bibelot.

Anna, depois do papagaio da Re, agora é o seu gato branco. POis é, tem alguns que resistem bravamente né? E crianças e bibelots combinam muito. Não dá nem pra dar bronca quando quebra.

Rods, sua madrasta é o Pelé.

Angela, seus bibelots agora são meninas super poderosas, barbies, pollies, shreks, etc... é, eu sei. Minha sobrinha enfeitou a casa dela com um monte desses aí tb.

Rubi, ainda bem que vc está em Londres e aí, pelo visto, bibelots não entram na sua casa. ufa ;0)

Keep, aaaah bom. Eu tenho um trasnformer sensacional. E um iDog, um mike wazalski, uma garrafinha da coca-cola, um mini cubo mágico...

Vicky, sério? Ela pões etiquetas? Que nem marcação de palco? Caraca...

9:30 AM

 
Blogger Isabella Kantek said...

Então resolvi dar uma voltinha em casa para ver se não encontrava algum... a gente nunca sabe, essas coisinhas brotam e tem sempre um parente querendo te empurrar um.
Ufa, não encontrei nada. Apenas três animais de madeira importados da alemanha (brinquedos da minha filha). Mas esses não contam, certo?! =)

Ótimo post!

2:54 PM

 
Blogger Nanda B. said...

Eu tinha mania de gnomos. No dia em que me mudei da casa dos meus pais soltei eles na floresta. De vez em quando sonho com eles, felizes, escalando o Pão-de-Açúcar.

6:10 PM

 
Blogger Gastón said...

Isabella, brinquedo pode. E um enfeite, um souvenir, tá tudo autorizado. O negocio é aqueles bichinhos de porcelana...

Nandinha, soltou na floresta da Tijuca?

7:48 PM

 
Blogger Flávia Esper said...

eu fico pensando numa cena meio quebra-nozes... imagina os bibelôs ganhando vida... e aqueles olhos... meu deus... o que são aqueles olhos?
mas bem que eu tenho minhas fadinhas bibelôs. rs

sobre seus comentários no blog... bem... a grande questão da tpm é que ela realmente às vezes dura 15 dias. não é fácil ser mulher. hahaha
mas essa menina aí podia ter tomado alguma coisa, né? quem sabe resolvia um pouco. se bem que... às vezes tpms agressivas vêm acompanhadas de um desejo sexual assustadoramente intenso. se eu fosse vc, pagava pra ver. hahahahahahahaha
beijão! volte sempre!!

8:45 PM

 
Anonymous bela said...

eu tenho TOC.
não sei se eu tenho oficialmente, mas eu me considero como uma portadora de TOC.
meu móvel da tv tinha 897 coisas, posicionadas estrategicamente, de forma que nenhuma ficasse escondida.
aí a socorro ia tirar o pó e colocava tudo fora da ordem que eu tinha colocado.
era tiro e queda, eu chegava do colégio, fazia uma cara de MEU DEUS, O QUE FIZERAM COM AS MINHAS TRALHAS?, e arrumava tudinho de novo :)
minha mãe se irrita com o meu toc, coitada

11:27 PM

 
Anonymous Mulher Solteira said...

Gastón!!!

Adorei o post sobre os bibelôs e tenho algumas caixas com inconfessáveis exemplares da espécime. Quando vim morar sozinha resolvi dar o meu grito de liberdade, mas não tive coragem de me desfazer (tenho um apego inexplicável por coisas que me são dadas por pessoas queridas - mesmo que sejam ratinhos cegos ou gansos com laço no pescoço).

MAS...... Mudando de assunto... você está convidado a presenciar um momento histórico!!! Acabo de criar o meu blog!!! O link é www.mulher-solteira.blogspot.com. Olha só, você é o primeiro varão que eu convido para adentrar o Mulher Solteira!!! Vê lá...

Aguardo a sua visita!

Beijoca,

Cris Manélson.

4:06 AM

 
Blogger Tati said...

Nossa, para mim, casa cheia de enfeite lembra aquelas senhoras viúvas de Copacabana. Batom vermelho, cabelo loiro prata, pele queimadad e 80 anos de sol e roupão de seda dos anos 20!

10:06 AM

 
Blogger Gastón said...

Flavia, que raio de anjinhos são esses? rsrsrsrs. Agora, sobre o assunto do teu post, desejo sexual intenso junto com desejo de matar alguém? No thanks. Desejo por desejo, eu fico com os saudáveis ;0)

Bela, você pode. Aqui no vida perra você pode tudo. Mas fala pra mim, a Cindy não derrubava tudo não?

Cris, minha dúvida agora é como me referir a vc. Viu meu coment lá n seu blog?

Tati, que coisa mais cinematográfica ;0) Dá uma boa história essas "Viúvas de Copacabana"

10:32 AM

 
Anonymous Re said...

Clau, quem dera que fosse isso.... mas pensando bem hoje mesmo vou procurar um fundo falso no papagaio, ou quebrá-lo sem querer... bjs Re

11:38 AM

 
Blogger Dani said...

Gastón,
na minha família tem várias "bibelot-maníacas", a começar... pela minha própria mãe!
Na minha futura casa não haverá um troço daqueles sequer!!!
E eu odeio, odeio de morte aquelas coisas inanimadas que poluem a decoração. Só não "esbarro sem querer" naqueles monumentos à falta de praticidade para não magoar mamãe... rs

Abração!

12:37 PM

 
Blogger Ana Téjo said...

Mudaça é bom por causa disso. Dá para "perder" caixas e caixas de coisas que a gente não quer. Na minha próxima mudança, já estou comprometidíssima a perder um prato e uma biscoiteira que minha ex-falecida sogra deu.

3:26 PM

 
Blogger Katia K. said...

Na casa da minha mãe também tem :-P

3:57 PM

 
Blogger Fabi´s said...

muito bom.... gostei!
Creio que nao chegou nenhuma pedra por ai neh? Pois ate os que odeiam bibelos, sempre sofrem algum deslize em viagens e trazem "algo" de recordaçao..rsrs

11:22 AM

 
Blogger Paps said...

Graças a Deus que minha mãe não tinha essa mania. Seria trauma? Não sei, pq não pude conviver com minha avó. Não sei se é por influência materna ou pelos três terríveis que eu tenho em casa, mas não tenho o costume, mesmo. Também nem adianta me daram nada de presente. Anjinhos, sapinhos e outros inhos vão todos parar no quintal através das presas de Bóris, Tobias e Preta, que ainda se aborrecem se vc pega o brinquedinho já destroçado para jogar fora...

1:48 PM

 
Anonymous bela said...

a Cindy derrubava os imãs do meu mural
e bagunçava as coisas com toda a delicadeza de suas banhas :)
mas agora eu esvaziei o quarto pra reformar e acabou a diversão da Cindy

9:27 PM

 
Blogger Ana said...

Peloamor, eu ODEIO bibelots. Uma vez estava numa dessas lojas de 1,99 e a mulher ao meu lado estava levando uma familia de cachorrinhos com plaquinhas de "Bem vindo" na boca. Imagine...

4:06 PM

 
Anonymous Mulher Solteira said...

Gastón,

não só vi seus comentários como respondi todos!

Você pode me chamar como quiser... o nick é só para fazer um tipo e curtir um pouco a minha estréia como blogueira.

Beijos!

12:04 AM

 
Blogger Gastón said...

Re, encontrou a chave do cofre?

Dani, não quebra mesmo. Lembra da teoria do gremlin. Se vc quebra um, sua mãe sai pra comprar um novo e acaba comprando mais 2.

Ana, a gente perde, deixa cair do caminhão, acaba tendo que doar por falta de espaço... como resolve.

Katia, tô pensando aqui em fazer que nem aqueles caras que fundaram aquela ong pra libertar guinomos de jardim... vamos libertar os bibelots na floresta que nem a nanda fez. Rouba uns da sua mãe.

Fabi, eu defendo que souvenir não é bibelot. Bibelot é anjinho, cachorrinho, ganso...

Paps, eu alugaria essa gangue canina. Já pensou? Dá pra fazer uma grana com famílias que sofrem do mal do bibelot.

Bela, agora a Cindy deve estar em busca de novas coisas pra zuar na sua casa. Ela abre gaveta?

Ana, vc não deu uma cotovelada no olho ela? nem botou o pé pra ela tropeçar?

Cris, vou te chamar de Cris. Mas, se vc quiser preservar seu nome, me fala. Vou lá ler os coments dos coments ;0)

9:24 AM

 
Anonymous bela said...

abre as gavetas do closet da minha mãe
não pode deixar nem uma frestinha da porta aberta que ela se enfia lá, abre a gaveta e bagunça tudo
:)

5:55 PM

 
Blogger Flávia said...

Olá! Minha primeira vez por aqui, mas não posso deixar de comentar.
Por que sogra faz isso com a gente? Ficam dando essas porcarias e depois querem saber como está, querem ver, fotos e tudo mais.
Eu não imaginava (inocente) que as pessoas compravam essas bugigangas. Eu achei que eram brindes que as pessoas ficam juntando por uma vida, até entrar numa loja e me deparar com uns minusculos monstrinhos de cristal para vender!!!! E o pior. Tive que comprar um, pois a aniversariante tinha me pedido isso de presente.
Outro dia, ganhei uma garrafa com um carangueijo dentro. Aí menino, não sei o que aconteceu, um dos meus gatos gordos derrubaram o negócio no chão e tive que jogar fora. Incrível.
Beijos e adorei o blog.

10:21 PM

 
Blogger Gastón said...

Bela, isso é desculpa da sua mãe pra não arrumar as gavetas. ela ensonou a Cindy.

Flavia, muito bem vinda :0) Bom, chegou numa semana complicada mas normalmente não é esse marasmo não, sempre tem coisa nova. Mas, tb tem muito arquivo pra ler :0) MOnstrinhos de cristal seriam Svarovski? Esses são chiques, passam no teste ;0)

9:20 AM

 
Blogger mc said...

Você não queira saber o que era a casa da minha ex-sogra. Ela colecionada elefantes, budas, chivas e afins. Mas o pior eram os enfeites de Natal. Todos faziam barulhinho, e ela ligava todos ao mesmo tempo. HELL.

4:07 PM

 
Blogger Flávia said...

Que nada Gaston! É coisa de cristal, que eu digo, mas na verdade é vidro, quando não é bolinha de gude.hehehehe
Beijos

6:25 PM

 
Blogger Flávia said...

Que nada Gaston! É coisa de cristal, que eu digo, mas na verdade é vidro, quando não é bolinha de gude.hehehehe
Beijos

6:25 PM

 
Blogger Flávia said...

Que nada Gaston! É coisa de cristal, que eu digo, mas na verdade é vidro, quando não é bolinha de gude.hehehehe
Beijos

6:25 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter