domingo, maio 27, 2007

Tem sopa? Eca.

Eu odeio sopa.

Todo mundo odeia alguma coisa. A minha coisa é a sopa.

Sopa não é comida. Sopa é uma bebida salgada que você toma de colher. Não é horrível isso?

Todo santo inverno essa história vem à tona.

- Hum, que vontade de tomar uma sopinha.
- Sopa, tá louca? O que você fez de tão ruim pra alguém te dar sopa?
- Sopinha Gasta, um caldinho, uma canjinha...
- ...
- Gasta?
- ...
-
Que cara é essa Gasta?
- ...
Gasta, fala comigo? Gente, o Gasta tá verde.

Vamos fazer assim ó, ninguém tá olhando: vira a cara meio pra esquerda, meio pra baixo. Fecha o olho direito bem apertado. Agora repuxa a boca em direção ao queixo e bota a língua pra fora. É isso. Pô, ficou boa a sua heim, você também odeia sopa?

Trauma de infância. É minha gente, nem tudo nessa vida é pudim.

Por falar em infância, sempre que eu dava sopinha pros meus sobrinhos, fazia questão de ir me explicando (com voz de quem fala com nenê):

- Hum, tá horrível né? Eu sei, mas eu não tenho culpa, eu juro. Isso é coisa da mamãe. Titio Gastón é um cara bacana, vai te levar no MacDonald's quando você crescer. Vai, abre a boquinha pra essa gororobinha. Quanto mais rápido você comer, mais rápido a gente manda ver naquele danoninho, o que você acha?

Eles comiam tudinho. Criança sabe.

Mas voltemos ao trauma.

Gastonzinho, um molequinho magrelinho de dar dó, sentia a aproximação do inverno e já começava a ter arrepio na espinha. O bichinho tremia, coitado. Ele sabia que mais dia, menos dia, sua mãe ia fazer aquela gororoba.

Ele ficava ali, tenso, só pescoçando o que ia ter pro jantar. Torcendo pra não escutar nenhuma panela de pressão na cozinha, algo que àquela hora do dia só poderia significar uma coisa: sopa.

E meus pais adoravam sopa. No mínimo uma vez por semana eu passava por uma interminável sessão de tortura na frente do prato.

- Ah não mãe, sopa não. De novo não. Mil vezes não. Nãããããoooo.

Caldo de carne, de legumes, caldo de feijão com macarrão de conchinha...

E eu não podia sair da mesa enquanto não acabasse. Eu demorava uma eternidade pra comer aquilo. Conclusão: eu sempre tomava sopa fria.

Algumas dava pra engolir mais fácil, outras me faziam sofrer. Mas tem uma em especial que não posso nem imaginar. Se aquilo for a última coisa que sobrar nesse mundo pra comer eu morro de fome. Feliz. A campeã do estômago revirado. O prato que eu mais abomino em toda face da terra: a sopa de caldo de feijão com legumes. Se tiver aquele arrozinho junto então...

Essa era dia de desespero.

O tempo passa, a gente cresce e o paladar muda. Confesso que surgiram algumas variedades que eu passei a encarar. Veja bem, encarar. Sopa de cebola (especialmente se for dentro do pão italiano), creme de palmito e creme de champignon. Tenho até arriscado um caldinho de feijão de boteco.

- Mas é tão bom tomar uma sopinha nesse inverno, esquenta.

Bom, eu prefiro uma meia de lã, um pijama bem grosso e uns três edredons.

16 Comments:

Blogger Fabi said...

Criança sofre né? Ainda bem que aqui em casa somos fãs de sopinha.Principalmente de feijão com legumes.
Desgraça de um, alegria de outro.
bj

10:35 PM

 
Blogger Luciana said...

Sorte sua q vc não é filho de portugueses, pq aqui em casa tem sopa toda noite. É sagrado!
Credo...Bj, Lulinha

11:13 PM

 
Anonymous Aninha said...

Nem desconfiava que neste inverno a gente não vai poder trocar os temakis por 1 sopinha quente...

11:45 PM

 
Blogger Catarina Chagas said...

Mafalda que o diga.

9:47 AM

 
Blogger MH said...

e se o frio for muito, uma dose de whiskey e não se fala mais nisso!!!

até curto uma sopa (sou seletiva, nada de canja pelamor!!!), mas respeito as aversões alheias!

10:16 AM

 
Blogger Daniela said...

Aiii, entendo totalmente sua aversão a sopa! Parece comida de doente! rsrsrs
Beijão!
Dani

10:36 AM

 
Blogger mc said...

Rânei, você é esquisitinho né? Pode esquecer essas sopas que vc gosta, pq isso não é sopa, é CREME. A Cynthia não ia aprovar...
Eu sou chegada numa sopa, mas odeio de feijão... e prefiro tipo papinha, sem pedaços de legumes, carnes ou afins.

10:37 AM

 
Blogger Ana Téjo said...

Vou jogar no ventilador: atenção hordas de leitores do Vida Perra: o Gastón Trujillo Muñoz d'Esperanza y Cortazár TOMOU SOPA DE CEBOLA NA MINHA CASA! E nem fez cara feia porque eu fiquei olhando o tempo todo.
Pronto. Falei.
(O que a gente não faz pelos amigos, né?)

11:30 AM

 
Blogger Gastón said...

Fabi, vc não faz isso com o pessoal aí da sua casa... não é possível! Jura que todo mundo gosta?

Lulinha, todo dia? Você disse, TODO DIA? Ah, eu tinha fugido de casa com 13 anos.

Pois é Aninha, trocar um temaki por sopa. Se um dia eu te pedir isso me interna.

Catarina, Mafalda é minha heroína.

É isso aí beibe. Um 12 anos, Cowboy, duplo.

Obrigado Dani. Até que henfim alguém que me entende nesse blog.

Rânei, eu não tomo essas sopas de livre e espontânea vontade. E Sopa de cebola não é creme. Pode ser, mas nem sempre é.

Ana, tomei mesmo. E tava boa. Eu amo cebola. Até líquida. E você, dear, é uma cozinheira espetacular. Mas se fosse pra caldo de feijão com legumes, não tinha amizaed no mundo que fizesse tomar. Eu levava lanchinho ;0)

11:39 AM

 
Blogger Tati said...

Sou da trupe da Luciana, filha de português, li como se lesse uma heresia sua anit-ode à sopa de feijão com legumes... É "O" clássico da minha família, tem gosto de pai, de infância, de... inverno...
Acabei de chegar do mercado com os ingredientes da sopas da semana: hoje vamos de sopa de abóbora, de longe a favorita.... Amanhã de mandioquinha, depois milho e depois de ervilha.
....
Beijos

11:50 AM

 
Anonymous Rodolfo said...

Ô garçom, tem um comentário na minha sopa.(desculpe, mas tive que colocar esse trocadilho gastronômico pra fora)

3:31 PM

 
Blogger Keep walking said...

Lá em casa também tem sopa todos os dias...E para não haver reclamações, para agradar gregos e troianos, sempre há duas opções de sabor.
A sua relação com pudim da sua mãe é a relação da minha família com sopa.
Eu sou chata e só tomo creme...
MC, a Cynthia aprovaria creme sim. Pelo menos a minha Cynthia libera. Claro que com um monte se porém/sem/pouco (creme de leite, batata...)

4:01 PM

 
Blogger Nana said...

Adoro sopa! Pô, caldinho de feijão de boteco é bom demais...

5:04 PM

 
Anonymous vivi said...

Então...
Eu também era da turma que odiava sopa quando pequena. Sopa e outras coisas leguminosas que hoje eu encaro...tal qual a sopa.
Pelo menos, Gastón, ela não engorda muito! Pense nisso...
A Cinthia não te recomendou nenhum caldinho, não!?
Beijos,

5:47 PM

 
Blogger Cláudia said...

LOUCA POR SOPA.
Só não encaro as frias: sopa pra mim tem de ser fumegante.
beijo

6:43 PM

 
Blogger Juliana Mattoni said...

tô contigo e não abro.Movimento "Por um inverno sem sopa"..sopa me lembra doença e tb a miséria do meu país.Moro do lado de uma igreja e sempre tem fila do sopão pros mendigos de Copacabana, que não são poucos.

12:30 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter