terça-feira, maio 08, 2007

Tempo extra

Cheguei ao supermercado as 2:00. Da manhã. Ainda sem ter certeza se esse negócio de 24 horas funciona mesmo. A porta estava fechada, mas as luzes estavam todas acesas. Se as luzes estão todas acesas, então está aberto. Quem desperdiçaria tanta energia a essa hora da madrugada?

Cheguei perto da porta automática e ela, como manda a tecnologia das portas automáticas, se abriu. Exatamente como nas últimas 24 horas.

Entrei feliz com meu carrinho. Com as rodinhas funcionando bem. Porque nada pior do que fazer compras com um carrinho de rodas emperradas ou descontroladas. Um carrinho que insiste em ir pra sessão de congelados quando o que você precisa é de uma caixa de sabão. Pior ainda pegar rolamentos ruidosos que fazem todo mundo olhar pra você.

Todo mundo? Cadê todo mundo?

Eu estava sozinho. Parecia um devaneio infantil, o sonho do menino esquecido na loja de brinquedos. Só havia um único consumidor circulando em centenas de metros quadrados de gôndolas e embalagens enfileiradas. De iPod no ouvido, com trilha sonora variada.

Aliás, quando se está só fazendo compras, é inevitável ouvir o som da rádio que toca no supermercado. Santos headfones.

Black Crowes pra pegar o pão e Portishead para os produtos de limpeza.

Corredor por corredor a listinha de pendências na minha cabeça ia diminuindo. Inversamente, o inevitável sono dessas altas horas da manhã me fez apoiar duro no carrinho e lutar pra manter os olhos bem abertos na sessão de enlatados.

Por um breve momento me arrependi daquilo tudo. Eu podia estar na cama, que desperdício de energia a essa hora da manhã. Pra que mesmo eu estou aqui? Ah, pra comprar suco, eu quase me esqueci do suco.

No final, cruzei um outro notívago consumidor.

Droga, o supermercado não era mais só meu.

- Bom dia senhor. Disse-me o caixa.

Bom dia. É tarde da noite. Já é outro dia.

- Obrigado e volte sempre.

Inevitável perceber no ar uma sensação de que é descontente ficar pela noite ali no caixa, passando o tempo e as compras tão devagar. Volte sempre, mas sempre a essa hora. É bom ver gente.

Justifica as luzes acesas.

14 Comments:

Anonymous Daniela said...

Sempre quis ir no supermercado de madrugada para ter esta sensação de ser um devaneio! Vou experimentar qualquer dia! Muito bom!

2:03 PM

 
Blogger mc said...

Acho que eu ia gostar de fazer compras na madrugada.

Mas minha cama é possessiva.

2:13 PM

 
Blogger MH said...

Raras vezes fiz compras de madrugada... é bizarro, realmente! É como quando saio do cinema de madrugada, o shopping vazio, aqueles corredores desertos, lojas fechadas... como se na verdade eu não devesse estar mais ali!

2:22 PM

 
Blogger Rodolfo Barreto said...

Eu detesto fazer compras no supermercado.
(92,5% da população)*

Eu não gosto de fazer lista.
(34,2% da população)*

Eu ainda vou tatuar uma lista no braço (mostra não alcançada)*. Assim eu apenas preciso olhar, ir riscando e depois não esquecer de tomar um banho. (10% da população)*

3:18 PM

 
Blogger Rodolfo Barreto said...

*pesquisa realizada com donas-de-casa francesas.

3:19 PM

 
Blogger Tati said...

quando morava em Los Angeles só ia de madrugada ao mercado, era óóóteeemo para paquerar...
beijos

4:33 PM

 
Anonymous vivi said...

Há quem vá ao Pão de Açúcar à noite para paquerar.
Uma amiga minha mesmo, ficou de olho no Raí.
Agora, mesmo solteira de carteirinha, não troco minha cama macia por nada. Por Raí, por sonho infantil, pela sensação de poder pegar todos os chocolates do mundo...sem ninguém ver.
Meu sono é sagrado!
bjs.

4:35 PM

 
Blogger Gastón said...

Daniela, aproveita pra dar uma passadinha lá depois da balada. Levemente alcoolizada aumenta o devaneio ;0)

Rânei, a minha tb é muito possessiva. Pra você ter uma idéia ela não fala comigo há 2 noites. Vira pro lado e dorme.

beibe, ao sair do cinema do Jd Sul, faça tchauzinho pra mim na varanda.

Rods, eu adoro fazer supermercado. Qualquer dia vou escrever sobre o Pão de Açucar perto de casa e mudar essa sua visão.

Tati, aqui só se for pra paquerar a faxineira. Porque era a única mulher em quilômetros. Tô solteiro mas não cheguei nesse grau de desespero.

Vivi, conforme falei pro Rods, vou postar qualquer dia sobre o Pão de Açucar. Tenho boas histórias dele.

6:49 PM

 
Anonymous Aninha said...

Xiiii... 1 carrinho de supermercado e minha caminha (aquela com que eu sonho qd o sono aumenta??)...
NUNCA que as compras ganhariam!!!
Pessoa empolgada vc!

7:51 PM

 
Anonymous Aninha said...

Xiiii... 1 carrinho de supermercado e minha caminha (aquela com que eu sonho qd o sono aumenta??)...
NUNCA que as compras ganhariam!!!
Pessoa empolgada vc!

7:51 PM

 
Blogger Garota do Zippo said...

Bom pra paquerar é mais cedo, antes da meia-noite, depois é deserto mesmo. Agora, não engulo essa parada de "bom dia"! Se tá claro é dia, se tá escuro é noite! Complexo, né?
Quanto à trilha sonora... Durante a faculdade sofri por não ter um iPod. Estudei no prédio da Gazeta. No elevador, na cantina, na portaria... Só dava pagodão e sertanejo. :S

8:33 PM

 
Blogger anna O. said...

Adoro fazer coisas de madrugada. Supermercado é ótimo nesse horário: sem filas, sem barulho, sem gente amontoada. Mas era melhor ainda quando o ex-marido acompanhava. Solteira perde um pouco a graça... Ótima seleção musical, by the way.

10:08 PM

 
Blogger Gastón said...

Aninha, pura necessidade. Se não meu café da manhã ia ficar muito desfalcado.

Zippo, concordo, se tá escuro é boa noite. Mesmo assim acabei respondendo ao bom dia. MP3 player saves. Espero que você já tenha adquirido seus sensacionais iPods. Ali pertinho da sua faculdade tem uns baratinhos no Stand Center.


Anna O. solteiro a essa hora é realmente uma experiência ainda mais solitária.

9:19 AM

 
Blogger Ana Téjo said...

Tem empacotador de madrugada? Porque se não tiver, eu não vou.
Sou como o Rods. ODEIO supermercado e qualquer hora do dia (ou da noite).

3:24 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter