terça-feira, maio 08, 2007

Nunca subestime um tema ruim.

Ela comprava saquinhos e mais saquinhos de Jujuba.

As verdes ela jogava fora.
As cor de laranja ela enfiava a força na boca da irmã.
As roxas... bem, roxo era uma cor que ela gostava. Chupava o açúcar da bala e deixava aquele violeta translúcido entrar-lhe na retina antes de atirá-las pela janela.
As amarelas ela dava ao jardineiro.

Carolina gostava mesmo era das jujubas vermelhas. Em cada saquinho, ela sempre contava, vinham cerca de 16 balinhas dessa cor. Uma vez a sorte lhe pareceu enorme e 22 jujubas vermelhas ela encontrou num só pacote. A partir daí passou a prever os sortilégios dos dias através do número de balas favoritas.

- Mas Carolina, como assim você não vai a escola hoje?
- Óbvio né mãe. Eu tenho prova e nesse saquinho aqui tem só oito Jujubas vermelhas. Oito. Sabe o que isso significa?

Mas não era só isso. Cada vez que pressentia o azar se aproximando, ela tratava de enfiar uma balinha na boca. Viraram Jujubas mágicas, capazes de afastar qualquer situação desfavorável.

A Carolina cresceu. Aos poucos deixou de lado as Jujubas vermelhas que lhe davam tanto poder.

Um dia desses, sentada na mesa de um restaurante, Carolina caiu na gargalhada de repente. Perdeu o fôlego de tanto rir.

- O que foi Carol?
- Nada.
- Fala.
- Que restaurante é esse que você me trouxe heim? O Maitre tá de terno cor-de-rosa.
- Carol?
- Fala.
- O Maitre tá de terno verde.

As verdes faziam a irmã morrer de raiva.
As cor de laranja eram um mistério pra vizinha que sempre varria balas meio chupadas dessa cor no quintal de casa.
As roxas eram as preferidas do Jardineiro.
As amarelas eram ótimas pra prever o futuro.
As vermelhas foram todas parar no lixo.

25 Comments:

Blogger Mônica Montone said...

Não gosto de jujubas, nunca gostei, mas o texto ficou um doce!

Gosto daqui, querido, gosto, mesmo!

beijos

MM

1:45 AM

 
Blogger MH said...

hahahaha
fenomenal!!
O Maitre tá de terno rosa...

9:23 AM

 
Blogger mc said...

Hein? O coitado do jardineiro ficava com as roxas babadas? Eca.

9:59 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Todas as suas personagens se chamam Carolina, é?

11:22 AM

 
Anonymous Re said...

ela era daltônica? não entendi... hahahah bjs Re

12:56 PM

 
Blogger Gastón said...

Mônica, obrigado :0) Doces são seus comentários, sempre.

Beibe rosa daqueles bebê, sabe?

Rânei, ela era dautônica. As que ficavam babadas eram as laranjas, que ela jogava pela janela e a vizinha varria. Tendeu?

Anônimo, Carolina é minha musa inspiradora ;0)

Re, sim, ela era completamente dautônica.

1:07 PM

 
Blogger MH said...

Sabe que mulher dautônica é raríssimo, né? até é passado geneticamente pela mãe, mas precisa de muuuuuuito azar pra uma mulher apresentar o problema... tadinha da sua Carolina e as jujubas trocadas!

2:04 PM

 
Anonymous Fernanda Salgado said...

Toda a Carolina é problemática (posso apanhar com esse comentário, mas que me provem o contrário!)

Beijos

4:17 PM

 
Blogger Gastón said...

Beibe, por isso que ela nunca imaginou que fossem cores diferentes (tá vendo como a gente se aproveita descaradamente de uma informação de última hora pra justificar ainda mais o texto?)

Fernandinha, eu discordo. E olha que eu conheço um bocado de Carolinas por esse mundo. Só no meu extinto grupo de teatro tinham 5. Todas normais ;0)

4:22 PM

 
Blogger anna O. said...

gente, sou prova viva: carolina é um problema ;-)
amei amei amei
doce e leve que nem jujuba.

4:44 PM

 
Blogger Katia K. said...

Muito bom!
As vermelhas também eram minhas favoritas...

5:01 PM

 
Blogger Garota do Zippo said...

Além de ser daltônica, Carol tinha algo em comum com O Rei e La Vendramini: TOC!!!

9:17 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Que continho ótemo, adorei a surpresa no final! Além de daltônica tinha problemas de paladar. Mas isso não faz a menor diferença pra ela, e ainda prova o que todos sabem: vêm jujubas verdes demais no saquinho.
Bjs, Rosana.

9:23 PM

 
Anonymous Aninha said...

Ai que vontade de comer jujuba!!!! hahahaha
Tô numa fase dureza, como vc pode perceber! rs

12:55 AM

 
Blogger Gastón said...

Anna O., as vermelhas são todas suas ;0)

Katia, vai ter quer pedir umas pra Anna O.

Zippo, hahahahaha. TOC nada, doida mesmo.

Rô, é mesmo né? Será que não percebem que ninguém gosta muito das verdes?

Aninha, tá com abstinência? Vai magrela, força.

9:15 AM

 
Anonymous bela said...

coitadinha da carol..

3:03 PM

 
Blogger Gastón said...

O que??? Será que é isso mesmo que eu tô pensando? Que eu tive a honra de, finalmente, receber um comentário da Bela? Bela é vc? Filha da Clau? Se for, até que henfim né? Se não for, tô feliz da mesma maneira :0)

3:06 PM

 
Blogger Ana Téjo said...

Caramba... ela deve ter engordado um bocado na infância.
E Matrix deve ter mudado a vida dela, não?

3:29 PM

 
Anonymous e. said...

... e ainda tem fabricante que chama jujuba de "gomas"... não dá, perde todo o glamour. sabe q durante muito tempo as jujubas foram as minhas "pílulas da criatividade". adorei o conto. me identifiquei... e acho q tenho olhos cor de rosa :) bj, e.

6:16 PM

 
Anonymous bela said...

sou eu mesma haha
a história da carol e das jujubas vermelhas me comoveu
merece um livro! :)

9:21 PM

 
Anonymous Rodolfo Barreto said...

Bom pra cacete!

As cores fazem sempre a diferença e tudo que é verde leva uma desvantagem gastronômica terrível. No dia que inventarem um spray para pintar alface, estaremos salvos. E mais magros.

Ps.: é bom ser desafiado de vez em quando, não acha?

10:42 AM

 
Blogger Cláudia said...

Eu gosto das vermelhas, mas jamais compraria um saco só de vermelhas, senão ia perder a graça!
Adorei o texto, Gastón!!!
beijo

8:58 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Viver num mundinho de grama laranja deve ser que nem viver nos quadrinhos da turma da Mônica.
Bjs. Rosana.

10:01 PM

 
Blogger Smeller said...

Achei lindinho. Jujubas são lúdicas :-)

2:48 PM

 
Blogger Vicky Meiotta said...

Gente, que desejo de jujuba!

Nunca encontrei aquelas do pacotinho com um leão em SP. Fico sem saber se não existem por aqui ou se não são mais fabricadas...

Esse conto me deixou mt nostálgica!

3:04 AM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter