quarta-feira, março 14, 2007

Siga aquele elefante

Eu sou o sujeito mais careta que eu conheço. Tirando cheetos tubinho e dipilik de uva eu nunca usei drogas pesadas. Nem leves. Eu bebo. Bebo bem às vezes. E fica só nisso. Mas eu tenho vontade de tomar um chazinho de zabumba ou coisa do tipo qualquer dia. Ficar bem doidão com esses alucinógenos que o pessoal diz que o céu começa a mudar de cor, os limões sorriem pra você e aparecem uns elefantes verdes voando na sua frente. Isso sim é barato. Porque tomar alguma coisa pra ficar pilhado ou ficar bobo não faz o menor sentido.

Conheço um cara que certa vez foi pra São Tomé das letras - capital mundial da prática badauê e das observação de discos voadores. Claro né, se lá o chá das cinco é de lírio, o mais normal que elas vêem é ET. Ele foi acampar com mais dois amigos.

Pausa nessa estória pra constatar que isso realmente não se passou comigo. Ir pra São Tomé das letras acampar?????? Sabe qual é a chance?

Bom, voltemos ao relato. A noite os caras encontraram uma turma de hippies (uma das 482 turmas de Hippies) com uma jarrinha na mão, sentados em torno de uma fogueira tocando músicas do Raul Seixas no violão. Que visão do inferno... Os três se juntaram à turminha maluco beleza e começaram a cantar. A uma certa hora dos acontecimentos, meu amigo perguntou o que tinha na tal jarra.

- É um chá?
- Chá de que?
- Um chá natural pra ver coisas diferentes.

Chá pra ver coisas diferentes? Não teve dúvida, mandou um copão pra dentro.

Dali alguns minutos começou a ter várias alucinações. As árvores estavam cantando Raul Seixas, o céu tava cor de laranja, tudo parecia mais vivo, etc...

Bom, passada algumas horas ele voltou pra barraca e dormiu.

No dia seguinte, acordou com uma fome monstruosa. Por causa do barato esqueceu completamente de comer. Levantou e foi a pé até a cidade. No caminho encontrou um dos amigos.

- Cara, tô com muita fome.
- Eu também, nem comi nada ontem.
- Nem eu.
- Vamos ali ó, tem uma lanchonete.
- Vamos sim.

Chagando na lanchonete:

- Vou mandar um x-salada. E você cara, quer comer o que?
- Também vou de x-salada. Boa.
- Amigo, vê um x-salada pra mim e outro pro meu amigo aqui. E duas cocas.

Comeram e papearam sobre a noite anterior.

Pagaram a conta e foram embora. Voltaram os dois pela cidade até o acampamento.

Chegando lá ele abriu a barraca e o cara com quem ele foi tomar o lanche na verdade ainda tava dormindo.

Esse mesmo amigo meu uma vez ficou preso no banheiro. A Porta sumiu.


Pensando bem, acho que não vou beber essas porcarias não. Vai que eu encontro um pé de Raulzito...

23 Comments:

Blogger MH said...

essas viagens duradouras devem ser o Ó. Pensando bem, tudo isso é o Ó. Ir pra São Tomé, cantar Raul em volta da fogueira, tomar chazinho natural...

se pelo menos estivesse numa festa no vale dos duendes, vá lá!

10:47 PM

 
Blogger MH said...

Nossa, Beibe, lembra do porre do Dumbo? Com elefantes de bolha de sabão gigantes? Pura viagem de chazinho natureba, não?

10:50 PM

 
Anonymous Aninha said...

hahahahaha
Tô fora total tb!!!
Fico com meus mojiiiiiiiiitos... Nem sempre tão inofensivos, mas até agora problemas maiores não ocorreram! Até agora... hahahaha
Bjinho

11:05 PM

 
Blogger Garota do Zippo said...

Gozado... às vzs chamam um cara de bichinha pq ele não quer dar um tapinha (ou um traguinho, injetadinho, cheiradinha...)e no entanto já ouvi história de drogadicto que agarrou traveco no meio da "viagem".
Num toma essa parada não.

12:03 AM

 
Blogger Rubina said...

Bem, mas que chá será esse. Isso é que é alucinação. Agora percebo a fertilidade dessa localidade...lol...

7:43 AM

 
Blogger Gastón said...

Beibe hahahaha, essa do dumbo foi ótima. Aliás, tem coisa mais licérgica do que disney? é por isso que náo vamos pra lá peregrinar beibe.

Aninha, um mojito é infensivo. Mas 5...

Zippo, chamar um cara de bichinha porque ele não quer dar um tapa é realmente algo digno de quem tem neurônios tostados. Tem toda razão, ficou louco e perdeu a noção corre o risco de pegar alguma coisa com pêlo no peito. Tô fora.

Rubina, todos os hippies e doidões vão pra Sã Tomé uma vez na vida. É a Meca deles.

9:48 AM

 
Anonymous Anônimo said...

hahahaha... é, dá medo do q vc vai ver.. relato verdadeiro: Eu tinha 15 anos e estava numa festa de uns caiçaras na praia do Tombo. Todo mundo tomando chá, o mais velho dos caras começou com uma paranóia q tinha um leão perseguindo ele e ele fugia do bicho correndo em volta da mesa de centro da sala.. Resultado, depois das tantas da madruga todo mundo desistiu de ajudar o figura e ele continuava correndo sem camisa, suado e podre de cansado em volta da mesa de centro.. nao sei pra ele, mas pra mim foi muito engraçado..hehehe..
Caia

3:29 PM

 
Blogger Claudia said...

Este comentário foi removido pelo autor.

3:44 PM

 
Blogger Claudia said...

rsrsrsr...Eu escuto essas histórias de "São Tomé" desde pequena...tenho um tio que fazia parte do grupinho dos hippies ( vai ver era um dos tres...rs)Diz ele que ia pra lá curtir e só voltava meses depois...Passou da fase, hoje tá bem casado, não é mais hippie, é pai de duas lindas garotas....por falar nas duas, tem um jeito meio hippie, fumam de vez em quando, só não observei se o liquido dentro do copo delas é algum tipo de chá ou é mesmo rum...rs.Só sei que hoje meu tio acredita em Deus e vai todo domingo na igreja...Será que a alucinação passa??? hahaha...

3:46 PM

 
Blogger Cláudia said...

Gastón
imagina que na minha lua-de-mel eu quis porque quis conhecer... Lumiar!
(dá um desconto que eu tinha 20 anos de idade apenas)
Fiquei numa decepção só, porque não tem nada lá, o povo vai pra acampar, ver estrelas, tomar chazinho, fumar um...
Mas sou dos seus: acampar em lugar badauê não é mesmo a minha praia (nem praia badauê é minha praia!)
beijo
cláudia do é o seguinte, porque já deu pra ver que tem mais de uma né?

8:09 PM

 
Blogger Smeller said...

Toca Raaaauuuuulllll :-P

9:51 PM

 
Blogger mc said...

No drugs, no drinks, no cigarettes.
Se bem que essa história do amigo dormindo na barraca foi boa.. imagina a cara do cidadão!!!

10:28 AM

 
Anonymous Re said...

Adoro viagens felizes.... hahahahha que delícia ser jovem. Uma vez me deram um negocinho que depois descobri ser ácido, na época namorava um pé descalço de Arraial d'ajuda, que quando tomava banho o colar de sementes, brotava. Que lembrança boa este texto me trouxe. bjs Re

12:43 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Olá, primeira vez comentando. Vim pelo blog da Cláudia (é o seguinte).
Resolvi comentar pq já fui umas duas vezes pra S. Tomé - não que me interesse pelos chazinhos, pera lá - mas estas histórias costumam ser muito engraçadas.
Foi lá que ouvi falar do Osho e do chá do SANTO DAIME que as pessoas tomam para buscar seu EU INTERIOR...
Vixe...
Adorei o post.
Vivi

2:30 PM

 
Blogger Gastón said...

Caia, eu sempre esqueço que eu tenho uma legítima badauê entre as minhas amigas comentaristas. Você é minha prova viva. Minha Janis.

Claudia, passava alguns meses em Sâo Tomé? Afe, devia voltar fritando de lá...

Clau, vc não é mais a única Claudia. Lumiar??????? É, a gente vai cavucando cada confissão aqui nesse blog...

Pol, e no mesmo momento em que alguém gritou isso, voôu uma havaiana direto na boca dessa pessoa. A havaiana era minha.

Rânei, esse meu amigo era totalmente drugs. Cheio das histórias.

Re, hahahaha, as sementes do colar brotarem é bizarro. O cara virava uma samambaia.

Vivi, seja bem vinda com seu primeiro comentário. Espero que seja o primeiro de muitos. POis é, esse papo de eu inerior viu... Se um dia eu tomar á pra ver gnomo mesmo ;0)

2:39 PM

 
Blogger Tati said...

pois é, eu vim descendo os comentários e pensando "será que a caia ainda não comentou????? Esse assunto é PHD da adolescência dela... " Mas ela já se adiantou, rsrsrs
achei que ela fosse contar a história da avó do amigo dela, que viu a jarra de chá de lírio na mesa a mandou bala... A véia ficou doida.....
beijos
ass: Irmã Careta da Badauê!

4:42 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Gastón, tava com saudade dos seus posts! E dos comentários da galera também! Já tô me deliciando com as últimas do blog... Beijão, Cris.

2:06 AM

 
Blogger Smeller said...

aê, Manelson! Gosto quando vc tá arroz de festa!

9:15 AM

 
Blogger Smeller said...

aê, Manelson! Gosto quando vc tá arroz de festa!

9:15 AM

 
Anonymous Rodolfo said...

Eu também compartilho dessa caretice. Meu único vício até hoje era fumar cigarrinhos de chocolate Pan.

10:33 AM

 
Blogger Gastón said...

Tati, sua irmã é um case badauê. Motivo de estudo desse blog tão científico.

Cris! Tava achando falta dos seus comentários por aqui :0)

Pol, tb adoro quando a Cris sai disparando comentário pra tudo quanto é post.

Rods, a gente vai é na marvada pinga né meu amigo.

7:31 PM

 
Blogger Mônica Montone said...

Cara, você é muuuuuuuito figura, kkkkkkkkkkkk, adorei o cheetos tubinho e dipilique, kkkkkkkkk, também usei essas drogas

beijocas e boa semana

MM

ps: sumiu do canteiro?!!! sninf

7:37 PM

 
Blogger Anna O. said...

hehehe

lucy in the skyyyy with diamonds...

4:10 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter