terça-feira, dezembro 12, 2006

Amor Gastónico

E um dia o pequeno Gastón estava lá, de uniforme, dinheiro na mão, se espremendo entre os alunos do ginásio pra pedir pro João da cantina um misto quente. Imagina só: trezentos adolescentes se acotovelando por um lanche para depois comê-lo no que sobrasse dos 20 minutos de intervalo.

E foi com esse belo cenário de fundo que ele a viu pela primeira vez.

Cena de comercial de margarina: linda, moreninha, cabelo preso num rabo de cavalo e roupa de ginástica do colégio. E aquela calça de ginástica do colégio era um deleite para o público masculino com mais de três fios de barba na cara.

- Ju, compra pra mim?

Ju. Juliana. A Juju.

Eu era um ano mais velho que ela. Sabe como é né, um cara mais maduro, experiente, boa pinta, cheio de amigos... de quatro por uma garota que nem sabia da minha existência. As coisas costumam ser assim.

Quantas primeiras aulas eu cabulei escondido na biblioteca, só pra sentar na escada e ver ela passar pra ir pra educação física.

Sempre fiz a social com metade do colégio. Pois conheci a outra metade só pra me cercar de todos os amigos dela.

Entrei de bicão em tudo quanto é festa de 15 anos que tinha aquele nome na lista.

Entrei pro time de basquete pra poder vê-la treinar handball na quadra do lado.

Bom, e depois de tanto investimento o que aconteceu?

Ué, levei uma coleção de foras homéricos.

- Não.

- Nem pensar.

- Não mesmo.

- Olha Gasta, ela mandou avisar que não.

É, foi muita dor de cotovelo pra um moleque só.

Acabou a escola e dez anos depois a gente se encontra numa esteira de academia. Moreninha, rabo de cavalo e roupa de gin...

Mudei pra bicicleta ergométrica.

6 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Romântico. E eu que, naquela idade, achava que só as meninas se apaixonavam desse jeito...

agora, recaída só é bom quando a experiência foi boa, troca a esteira por uma aula de boxe pra descarregar as tensões. Ou Ioga pra ficar zen e equilibrado... rsrsrs

bjos
MH

8:45 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Pois é, o amor nasce assim. O meu surgiu na adolescencia por um loirinho que vi uma vez, investiguei tudo que podia, segui ele até em casa para ver onde morava, desmaiei na porta dele, pedia carona, mandava cartas, pixei o muro e 8 anos depois... ganhei 1 beijo e percebi... porque fiquei 8 anos atras deste homem? Mas o amor nasce assim, vc foi bem mais esperto fugir para não ver que a ilusão vira desilusão... bjs Re

11:30 AM

 
Blogger Gastón said...

Mh, a gente gostava mais não podia dar o braço a torcer.

Olha Rê, com essa aí eu esgotei toda a cota de amor platônico de uma vida. Depois o negócio foi partir pra cima logo de cara.

Caramba, ninguém conseguiu comentar. Bom, ainda que tardiamente, espero coments dos que não conseguiram.

11:45 PM

 
Blogger tacolla said...

bom, eu tinha dito ontem, várias vezes, sem conseguir postar, que achei muito romântico, tipo cena de filme.... E que quem sabe era a hora de gastones ver o que pegava... Corre pra bike, Gasta!
beijos

9:52 AM

 
Blogger Patricia said...

Inspirador! deu saudades também da hora do recreio.
Ela é tão tímida! será que não foi isso?
Beijo

2:40 PM

 
Blogger Gastón said...

Tati,

pra mim ela continua linda. Mas pra ela eu devo cotinuar feio, ou chato, ou sei lá porque ela só me deu fora. Lição vivida, lição aprendida.

Paty,

i don't think so... saudade da hora do Recreio também. Ainda mais nessa época.

2:45 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter