quarta-feira, novembro 29, 2006

Big Fish

Quando pensei nesse post fiquei na dúvida entre dois títulos: Big Fish ou Forest Gump. Mas como vocês puderam perceber, o Tom Hanks perdeu o papel principal.

Você assistiu Big Fish? Se viu, ótimo. Se não viu e nem quer ver, tudo bem. Agora, se não viu mas ficou com vontade, acho melhor parar por aqui nesse post. Sim, porque eu vou ser obrigado a contar o final.

Não é exatamente daqueles filmes que se alguém te contar o final o resto todo desmorona (como o do molequinho que fala “I see dead people”).

Mas aí é você quem decide, eu já deixei avisado .

Eu tenho um amigo escritor. Escritor mirim. Mirim porque o cara me faz uma noite de autógrafos do primeiro livro da vida dele e esquece de levar uma caneta. Enquanto eu tomava meu primeiro chopp da noite, autografou meu livro com a bic sem tampa do garçom. Um baita livro daquele, nada, nada merecia uma Mont Blanc.

Esse meu amigo é daqueles amigos mesmo. Brother. E entre uma mesa e outra de bar, ele vem sempre cheio das histórias. Não só as que ele relata no livro de contos (e que jura de pé junto que nada daquilo tem a ver com a própria vida), mas dessas que ele mesmo vivencia.

Não sei se eu sou ingênuo ou se ele é muito bom de papo (se ele escreveu um livro de contos a segunda opção ganha considerável força). Mas é impressionante como tudo acontece com esse cara. As coisas mais bizarras, mais surreais. E eu, sem pestanejar, sempre acreditei em todas essas histórias.

Alguns mais céticos, lá pelas tantas, sempre soltam um: “ah cara, você tá zoando, não é possível...”

É um tal de amigo gigante, estagiário que caiu no conto da concorrência pra nova bandeira do Brasil, mulher barbada, homem bala, domador, as sete caras do doutor Lau e por aí vai circo a fora.

Numa das histórias, o cara conheceu a mulher mais gostosa do prédio onde ele mora. Até aí nada de anormal. Mas quem juntou os dois foi o porteiro que, de livre e espontânea vontade, decidiu que eles tinham que se conhecer e pronto. Do tipo “Vô ajudá o sinhô”. Pois o porteiro virou cupido via interfone. Marcou encontro na piscina e tudo mais.

Me diz, quando é que uma coisa dessas?

E a evangélica? A evangélica eu não vou nem contar aqui porque vão me chamar de mentiroso.

Bom mas eis que ontem, no lançamento do tal livro, tô lá eu no meu terceiro chopp quando na mesa ao lado senta uma mulher espetacular acompanhada de um sujeito que realmente não combinava em nada com ela. Ela toda elegante, com pinta de modelo e o cara meio bregão, com jeito de tosco. Eles ficaram ali uma meia hora e foram embora.

Depois de autografar alguns livros, meu amigo senta do meu lado, vira pra mim e diz:

- Ô Gastón, você viu a modelo do meu prédio? Ela tava aí, veio com o porteiro.

Pois é, de uma hora pra outra, um a um, todos aqueles personagens fantásticos que eu ouvia nas histórias malucas desse sujeito começam a chegar, a cumprimentá-lo e a pedir dedicatória no livro.

(agora vem a parte que eu conto o fim do filme)

Imediatamente me lembrei do enterro do contador de histórias do Big Fish, onde o filho que nunca acreditou nas lendas do pai encontra as siamesas, o bagre, os anões...

Rods, você é um grande escritor, um grande contador de histórias e um grande amigo.

Se alguém aí tiver sorte de encontrar com esse cara na mesa de um bar, pode ter certeza que aqueles absurdos todos são a mais pura verdade.

E tendo ou não esse tipo de privilégio, vale a pena comprar o livro dele. Com certeza é Peixe Grande.

Mas se quiser dedicatória eu aconselho levar uma caneta.





11 Comments:

Blogger Rubina said...

Gastón

O seu amigo escritor não tem um blog? Antes de mais manda os meus parabéns para ele. Sabes que vejo o cinema com a noção de que a vida real supera qualquer ficção. Pelo menos a minha tem superado e nem imaginas quanto...Mas é bom ter essa noção, pois não há nada melhor que uma vida intensa, vivendo assim a novela mexicana no mundo real.

Um beijo

8:33 AM

 
Blogger Re said...

Gastón,
Que bom que vc conhece algum Big Fish, este filme é lindo, vi com meu pai, o verdadeiro Big Fish da minha família, chorei tanto...
Gosto de pessoas que vivem intensamente, acho que seu amigo é um desses...
bjs
Ps. Qual o nome do livro?

9:30 AM

 
Blogger Tati said...

Nossa, amei o nome do livro!!!!! Super inteligente, tantas coisas não saem no banho, né?.... Mas, escuta aqui..... E o lance da Evangélica??? Dá pra socializar aí?!
beijos

9:43 AM

 
Blogger Cláudia said...

Favor mandar nome do porteiro, porque os daqui do meu prédio são tudo uns inoperantes!
Se juntar ele com a Re, a vida dos demais vai parecer tão sem graça...
beijo

10:10 AM

 
Blogger Tati said...

gastón, hoje pude retribuir sua citação, olha lá! beijos

10:10 AM

 
Anonymous Rodolfo said...

Porra, cara, nem sei o que dizer.

Sabe o que é do caralho? Um cara que vai no lançamento, faz questão de comprar 2 livros, fica lá até altas horas e quando recebe um telefonema no meio da noite, atende, ouve, dá conselho e ainda diz: cara, tô aqui escrevendo sobre você.

Gastón, diga pro Leo que ele é foda.

Obrigado por tudo.

11:30 AM

 
Anonymous Rodolfo said...

Porra, cara, nem sei o que dizer.

Sabe o que é do caralho? Um cara que vai no lançamento, faz questão de comprar 2 livros, fica lá até altas horas e quando recebe um telefonema no meio da noite, atende, ouve, dá conselho e ainda diz: cara, tô aqui escrevendo sobre você.

Gastón, diga pro Leo que ele é foda.

Obrigado por tudo.

11:30 AM

 
Blogger Gastón said...

Rubina, esses textos sairam de um fotolog onde ele colocava seus contos. mas infelizmente ele teve que tirá-los de lá por questões de direitos autorais e tal.

Rê, você é meio Big Fish também. Não esqueço nunca mais do poeta de olinda e do cigano surdo-mudo,prometido pra outra. O nome do livro tá abaixo do Post, naquela imagem. Compra porque vale muito a pena.

Tati, não vou falar nada da evangélica não. O Rods já me passou os direitos de publicação da história. Acho que vou colocá-la num mulheres que amamos: a carola.

POis é Clau, o meu porteiro só me liga pra falar que chegou a pizza. Botar mulher na minha mão que é bom nem pensar.

Pode deixar Rods, vou transmitir seu recado pro Leo. ele vai ficar contente ;0)

1:03 PM

 
Blogger MH said...

Que maravilha! Tem gente que tem o dom, mesmo. Não só isso, tem gente que atrai esse tipo de situação! Pena que não pude ir no lançamento... mas quero muito ler o livro. E pelo pouco que conhecio do autor, gente boa pra caramba, o livro deve ser ótimo!!

2:48 PM

 
Blogger mc said...

Adorei Rânei! Sabe que não tenho tido tempo de ler blogs não, só os que já conheço. É que ler blog novo dá muito trabalho, desperta a curiosidade forte e eu fico horas fuçando em tudo que a pessoa já escreveu...
mas quando der eu vou no dele.
o livro vc pode me dar de Natal.
beijos, da rânei

3:17 PM

 
Blogger Gastón said...

Mh, vc tinha um outro evento cultural, tá desculpada :0) Mas descola o livro, tá bem legal.

Rânei, o Rods teve que tirar os textos dele do Fotolog onde ele postava... por conta de direitos.

mas, anyway, www.fotolog.com/nonstoplace

5:12 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter