segunda-feira, novembro 26, 2007

Entre ela e o sol.

Manhã de sábado na casa de uma tradicional família carioca. Na mesa do café, a mãe, Lígia, já de biquini e canga amarrada pra descer nas areias do Leblon. O Pai, de chinelos e sem camisa, lendo "O Globo" enquanto mastiga um pãozinho com manteiga. Já passa das dez e meia e, misturada à maresia que entra pela porta da sacada, há uma leve porém indisfarçável irritação no ar.

- Augusto, já são dez e meia, eu vou lá acordar a Amanda.

- Deixa a menina dormir Ligia, que implicância.

- Mas está um dia tão lindo lá fora Augusto, que horas a gente vai à praia hoje? Já vai ser impossível arrumar um lugar pra barraca.

- Deixa a menina, Ligia. Ela foi dormir tarde. Ficou na Lapa até altas horas com as amiguinhas ontem.

Alguns minutos depois, surge Amanda, vestindo Jeans, camiseta do Nirvana, all star preto e com os cabelos ainda molhados do banho, repartidos ao meio, escondendo parcialmente o rosto. Senta-se à mesa em silêncio. Parte um pão e espalha patê de presunto sobre uma das metades.

- Amanda, minha filha, aonde você vai vestida assim?

- Não vou a lugar nenhum mãe.

- Como não minha filha? Tá um dia lindo, eu e seu pai estamos esperando você pra ir à praia.

- Não quero ir à praia mãe.

- Como não?

- Que saco...

- Isso são modos menina?

- Olha, pra mim chega. Mãe, pai, eu preciso falar uma coisa pra vocês.

A cara de Ligia ficou mais pálida que cera. Parecia que todo o bronzeado tinha ido embora em segundos. Augusto baixou o jornal e olhou sério pra filha. Parece que o momento que eles tanto temiam havia chegado. Nó na garganta. Frio no estômago.

- Calma Ligia, deixa a menina falar.

- É mãe, deixa eu falar.

- Fala filha.

- Eu não fui à Lapa ontem.

- Não? Aonde você se meteu até as quatro e meia da manhã?

- Eu estava num show de Rock.

- Rock? Você disse Rock?

- É mãe. Olha mãe, to cansada de ficar me escondendo sabe, eu preciso contar logo uma coisa que tá me incomodando. Não sei se vocês já perceberam mas eu sou meio diferente das outras meninas. Sempre fui. Eu não gosto de...é que... é que eu sou...

- ...

- Pai, mãe, eu sou Paulista.

- Ai que desgosto, meu Deus, acho que vou desmaiar...

- Calma Ligia... ô Amanda, mas como? Você tem certeza?

- Ai minha filha, sempre desconfiamos que você fosse isso, mas sabe como é, a gente achou que era coisa de adolescente, que um dia ia passar. Acha que eu e seu pai não notamos que você era branquela? Que não ligava pra praia? Que adorava um prédio, um dia nublado, uma garoinha, um museu, um sanduíche de mortadela... Ai meu deus, quanto desgosto.

- Pois é mãe, sou Paulista mesmo. Aliás, eu sou Paulistana.

- Ai Augusto, olha o que essa menina tá dizendo. Paulistana? Que horror. Isso é culpa sua Augusto, ela puxou o seu lado da família.

- Não vem botando a culpa em mim não, Ligia.

- Deixa pra lá pai. Isso a gente não escolhe. A gente nasce. Eu sempre quis morar em Sampa. Eu já tô falando "meu" escondido há um tempo. E "estacionameinto" também.

- Tantos anos educando essa menina, comprando biquini e filtro solar pra ela, acordando todo domingo as sete e meia da manhã pra andar no Caminho Claudio Coutinho pra um dia ouvir isso. Isso é má companhia Augusto. Só pode ser. Amizade errada. Ficou andando com essa cambada de maluco agora deu nisso. Perdemos nossa filha. Filhinha, a gente paga pra você uma clínica bacana em Jacarepaguá, você passa uns meses lá e volta boa de novo. Isso passa meu bem.

- Mãe, ser paulista não é doença.

- Calma Ligia, deixa a menina.

- Olha Amanda, você pode ser quem você quiser. Mas se eu escutar um "meu" aqui dentro dessa casa, se no meu aniversário você cantar "é pique, é pique, é pique", se experimentar cantar escravos de jó com aquele "tira, põe" ridículo que não encaixa na melodia, eu não tenho mais filha. Tá me endendendo?

- Tô, tô inteindeindo.


Essa é uma obra de ficção e qualquer semelhança com fatos da vida real são mera coincidência, abobrinhas saidas diretamente da cabeça do autor ou a convivência com uma certa carioca convertida a paulista que faz aniversário hoje. Parabéns Fê. Esse é só seu.

29 Comments:

Blogger Keep walking said...

nao conheço a fe, mas lembrei tanto da Vicky...Nao pelo allstar e nem por ser branquela, mas por ser, de alma, paulista

10:28 PM

 
Anonymous Mulher Solteira said...

HUAHUAHUAHUA!!!

Você tá se especializando nesses posts Rio X São Paulo... eu, que já namorei um carioca, posso dar algumas contribuições lexicais, tais como "ixxcurrego", "pregadera", "ixxtabaco" e "manobrero" (respectivamente escorregador, presilha, tombo e manobrista, hahahahahaha!)...
Beijos!

1:17 AM

 
Blogger Aline said...

Sensacional! Divertidíssimo e ainda deu saudades do Rio. Eu não sou carioca (nem paulista). Meu marido é carioca até não poder mais. E fim de semana era sempre a mesma coisa: ele lendo O Globo, meio irritado que eu ainda estava dormindo e estava um dia lindo lá fora.

Beijos.

5:54 AM

 
Blogger ANNA said...

Hahaha!
Muito bom, Gasta. Amei!
E parabéns pra Fê! Muito tudo de bom!
Beijo
(urb)Anna

7:29 AM

 
Anonymous Fernanda Salgado said...

Aaaaaaaahhhhhhh que lindo!!! Chorei horrores!!!! Quanta emoção!!!

Adorei, querido. Nem tenho palavras pra esse comentário.

Muito obrigada, por tudo! Tudinho.

Beijos

8:16 AM

 
Blogger Gastón said...

Keep, mas a Vicky tem uma aura carioca. Apesar da alma paulista. Já a Fernanda, só percebem que é do rio se pedir uma porrrrção de paxxxxtel mixxxxta.

Mulher, pois é, minhas idas ao rio e esse monte de grandes amigos cariocas (como a Fernanda, por exemplo)estão rendendo mais que a Jô ;0)

Aline, que legal que vc curtiu. Pois é, nada como um fim de semana no Rio pra gente captar (e experimentar) aquele cotidiano.

Anna, obrigado :0) A Fê é uma amiga muito querida, ela merece muito.

Eeeeehhhh, parabéns Fê. Chora não, aqui a gente só chora de rir :0) Espero que tenha gostado de ler tanto quanto eu curti escrever.

8:51 AM

 
Anonymous Tôca said...

Fico impressionado com a sua criatividade. Sempre escrevendo coisas novas, temas hilários. A maneira como você transmite as idéias para o papel, fenomenal! Abraços de seu fã, Thiago "Tôca" Santos

9:12 AM

 
Anonymous Ciça said...

SENSACIONAL!!!!

9:31 AM

 
Blogger Fabiana said...

Vou te confessar, é quase uma ofensa quando um carioca quer se tornar paulista. Mas não vamos criar polêmica.
Criativo como sempre, muito bacana, adorei o texto.

Cuidado, vc tá entendendo tanto de cariocas que sei não hein, só pelo amor de Deus não vai cantar pagode e fazer churrasco na praia.

beijo

Parabéns Fernanda!
beijo pra vc

9:33 AM

 
Blogger Gastón said...

Ô Tôca, obrigado. Prazer receber você aqui. A casa é sua :0)

Ciça, OBRIGADO!!! rsrsrs

Fabi, só sendo muito, muito, MUITO Paulista pra entender bem de carioca ;0)

9:57 AM

 
Blogger Rodolfo Barreto said...

Aê, meu!!
Que você tenha uma puuuuta comemoração hoje!
Parabéins, Fê!! (nomes em Sampa só possuem a primeira sílaba)

10:08 AM

 
Blogger mc said...

"eu não fui à lapa ontem" ahahahahhaha

que revelação!!!

Parabéns Fernanda!!!

10:55 AM

 
Anonymous Aninha said...

Parabéns Fernanda! Que vc seja MTO feliz...
Parabéns ao amigo magrelo que só faz a gente rir com tt texto bom. E de TPM amigo... eu tenho estado num mau humor que não é p/ qq 1!
Bjinhos

11:56 AM

 
Blogger Gastón said...

Rods, não vem não que você também tem seu pézinho na Moóca.

É Rânei. E ir a Lapa aqui em Sampa é quase igual né? Rsrsrs

Aninha, obrigado. A Fê tá vindo aqui ver os parabéns, avisei a ela que tá rolando uma comemoração :0)

12:43 PM

 
Blogger Cláudia said...

MUITO BOM!!! O MELHOR TEXTO DE TODOS ATÉ AGORA, E OLHA QUE A OFERTA DE TEXTOS SENSACIONAIS NO SEU BLOG É ALTÍSSIMA!!!
beijo

1:03 PM

 
Anonymous Fernanda Salgado said...

Gente! Obrigada pelos parabéns.

Está sendo um aniversário muito especial. Tenho muita sorte de ter amigos maravilhosos!

Meeeeeeeeeeeuuuuuuuuuuu! Puta, felicidade!

beijos

1:19 PM

 
Blogger ANNA said...

Demais! Adorei!!! Mas confessa aí que alguém te deu consultoria sobre o lado carioca de ser! Até a Pixxxxta Claudio Coutinho (não é caminho...) entrou na história!

Parabéns a Fernanda! Puta homenagem! rs

1:48 PM

 
Blogger Gastón said...

Clau, que legal uque você gostou um tantão assim :0). Quando a gente homenageia amigos queridos sempre sai coisa boa.

Ehhh, Reponde aí Fê que hoje o blog é seu.

Anna, que nada. Eu fui pessoalmente ao Caminho Claudio Coutinho (eita, na placa tá escrito caminho rsrsrs), levado por nada mais nada menos do que a mãe da Fê rsrsrs. Fez parte do meu último tour carioca. E com tanto amigo carioca, não acha que eu tô PHD no assunto?

2:00 PM

 
Anonymous Lunna said...

Soteropolitana, filha de goiano que mora em Brasília se abstem de comentar...só manda avisar que gostou muito do texto (embora não tenha entendido muita coisa).
bj

2:48 PM

 
Blogger MH said...

Péra aí, mas eu adoro praia, odeio prédio, odeio dia nublado com garoinha. sanduíche de mortadela, entao, nem pensar...será que eu sou...carioca!!! NAOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!! Brincadeirinha, meu, sou paulistano, mas amo o Rio. PUTATEXTODOCARALHOMEU

4:02 PM

 
Blogger Flávia said...

Parabéns Fê! (desculpa a intimidade, mas o Gasta só colocou Fê...;)
Eu também sou paulista! É tão bom ser paulista, meu! Adoro.
Beijos

5:18 PM

 
Anonymous Sister Rogéria said...

Excelente texto! vai pro espalha-fato.

5:43 PM

 
Blogger Gastón said...

É Lunna, algo como Paulistas são de Marte, cariocas são de venus. A gente é diferente a beça. Mas vive bebendo junto ;0)

MH, nem vem com esse negócio de ser carioca.

Flavai, eu também adoro ser paulistano. Essa cidade é minha vida.

6:02 PM

 
Blogger "a" MH said...

Eba! Parabéns pra Fê, muitas felicidades nessa terra cinza que hoje resolveu ficar azul com sol... será que é pra vc???

Beibe, fenomenal seu post, adorei a filha "saindo do armário"...

beijos

10:46 AM

 
Blogger Re said...

hahahahah me vi neste texto.... carioca em São Paulo é assim, os pais demoram para aceitar... mas é importante ter saúde... hahahah ótimo Gastón... bjs Re

11:24 AM

 
Blogger Vicky Meiotta said...

Eu sou paulixxxxta, cara! Me identifiquei muito!!!

Acho que minha tal aura carioca se foi depois que cortei o cabelão, abandonei as luzes e passei a fugir do sol!!!

11:24 PM

 
Anonymous DD said...

Trabalhando numa empresa carioca, eu sei bem como a Amanda se sente! rsrsrs
Beijos!

3:28 PM

 
Anonymous Flavita said...

Genial!

7:54 PM

 
Blogger Flávia Stefani said...

Eu lembro desse! :D Lembro de ter lido e rido um montão!

1:43 AM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter