segunda-feira, agosto 21, 2006

Gente fina, elegante e sincera.

E lá estou eu, domingão à noite indo no shopping Iguatemi. Que fique bem claro que domingo à noite é o momento do auge do bode da semana e eu odeio o Iguatemi com todas as minhas forças. Lugar que me embrulha o estômago, muito cheio daquela gentinha fina, elegante e sincera. Mas depois de receber algumas ameaças de morte e chantagens emocionais femininas, lá fui eu.

Estacionamento bombando. Os sete andares totalmente lotados. Eu, o rei da paciência, vou direto para o sétimo.

Andar inteirinho tomado. Mas uma boa notícia (finalmente...) ninguém esperando vaga além de mim. Em alguns segundos, um casal sai do elevador e eu pergunto se eles estão saindo. Eles apontam o carro, dou uma rezinha, ligo meu pisca-alerta e espero.

Nesse meio tempo, 2 ou 3 carros se somam atrás de mim esperando pacientemente o dono da vaga manobrar uma L200 pra sair daquele espaço em que mal cabe um cinqueccento.

É aí que tudo acontece.

Na contramão, vem belo e formoso um cara. Por enquanto vamos chamá-lo apenas de cara.

O cara, no seu Corola último tipo, pára do outro lado da vaga enquanto o nosso amigo da caminhonete está saindo.

Por um segundo você pensa consigo mesmo: ele não vai fazer isso, ele não vai ter a cara de pau de parar na vaga.

Sim, ele vai.

Pois foi só o primeiro sair que ele avançou no meu carro, deu ré e começou a estacionar.

No primeiro sinal de que ele ia parar, eu disparei a buzinar, jogar farol e gritar pela janela.

Fiquei louco. Mas louco mesmo ficou o cara que tava atrás de mim, simplesmente aguardando eu parar o carro pra continuar em frente. O sujeito ficou indignado e começou a xingar o palhaço (palhaço é como chamaremos o cara a partir de agora).

E não é que o Bozo saiu do carro e partiu pra ignorância? Esbravejando que não tinha me visto lá esperando (nem viu meu pisca, nem meu farol alto, nem ouviu minha buzina e muito menos meus gritos) os dois quase saíram na mão.

O Arrelia voltou pro carro me encarando feio e perguntou:

- Que que foi, nunca viu não?

- Pois é né, só sua mãe faz filho esperto.

- Que e que foi?

- Vai meu filho, vaza daí logo que eu quero parar meu carro.

Pra cima de mim ele não partiu. Talvez porque eu estivesse com mais um amigo meu no carro e, no auge da macheza, o palhaço tivesse pensado duas vezes.

Pegou o carro e saiu.

E no banco de trás do carro, duas menininhas. Provavelmente as filhinhas do Bozo.

Papai, além de bancar o espertão, deu vexame.

Por causa de uma importantíssima, inigualável e soberba vaga de estacionamento.

6 Comments:

Blogger MH said...

que modelo de pai, esse cara... já não suporto o "tipo", machão que quer ser espertinho e ainda estufa o peito pra brigar. Agora fazer isso na frente das filhas é demais. Tem gente que devia ser proibida de procriar!

2:20 PM

 
Anonymous fgb said...

A elite branca brasileira....soh pra ver a merda que a gente está...
Adorei sua resposta pro cara! hahaha

3:15 PM

 
Blogger Cláudia said...

Gastón,
lembre-me de te contar baixaria parecida eu e meu então marido no Shopping Morumbi.
No fim, foi divertido até, rimos muito do episódio ridículo.
Nem é tanto pela vaga, não? É pelo abuso, pela falta de educação e pela arrogância.

10:20 PM

 
Blogger Michel said...

Meu querido, quer ir no Iguatemi e não ter Piti. Afe! (o sotaque é de rasgabofe, igual os do Iguatemi).

12:02 PM

 
Anonymous JU... said...

Cada lugar que você frequenta... eu, hein?

11:07 AM

 
Blogger mc said...

A-do-rei o "só sua mãe faz filho esperto"!!! já adotei!
Eu não sei o que teria feito no seu lugar. Esse tipo de situação faz minha alma desprender do corpo.

10:04 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter