sexta-feira, junho 09, 2006

Churrasco, Churrasco.

Antes de começar esse texto, queria registrar uma frase célebre de um grande amigo meu:

Churrasco tem que ter carne, caaaaarne, cerveja, cerveeeeja e amigo, amiiiiigo. Porque Churrasco com Frango, guaraná e vizinho não é churrasco.

Vinte e cinco pessoas num churrasco, churraaaaaasco. Entre elas, esse filho de Deus que vos escreve.

O dono da casa pilotando os espetos. Picanha, linguiça toscana, uma costela de boi há 36 horas no bafo. Sol de rachar. Cerveja saindo do isopor e passando de mão em mão a toda hora. A uma certa altura dos acontecimentos o cunhado do dono da casa pega aquela travessa de madeira cheia de carne e sai oferecendo pra todo mundo.

- E aí Gaston, vai uma carninha? (carne oferecida em churrasco sempre vem no diminutivo, não me pergunta porque).

Não Pedrão, obrigado. Tô aqui sossegado. (nome de amigo churrasqueiro sempre vem no aumentativo e também sei lá porque).

E vem a segunda rodada:

- E ai Gaston, Picanhinha?

- Valeu Pedrão, tô aqui só na Maionese.

E tome a terceira rodada:

- Gaston, experimenta essa linguicinha.

- Ô Pedrão, essa eu vou passar rapaz.

- Que é isso cara, tá de regime?

- Não rapaz, é que eu parei de comer carne vermelha.

As 25 pessoas param imediatamente de falar e olham pra você. Som de criança chorando ao fundo. É impressionante. Parece que você acabou de confessar que bate na própria mãe.

- O quê?

- É, já faz uns 2 meses que eu não como.

- Ô cara, daqui a pouco você vai dizer que não bebe mais também, depois vai dizer que tá usando saia...

Por que será que as pessoas associam tanto o churrasco à masculinidade? Coisa mais neandertal...

- Não Pedrão, eu não disse pra você que não como mais mulher, eu disse pra você que eu não como mais carne vermelha. Capiscce?

- Beleza então... Meio sem jeito ele emenda

- Vai sair uma azinha de frango daqui a pouco, sabe cumé, frango demora mais pra ficar pronto né.... Bom, passado o susto, aos poucos tudo volta ao normal. As pessoas voltam a conversar, a criancinha para de chorar, o ciclo da travessa de carne volta à rotina.

E vou falar que de repente até me dei bem porque sempre que você confessa que não come carne, junta umas 2 ou 3 vegetarianas solteiras do seu lado, com um pratinho cheio de alface, aquele olhar de aprovação e cheias de solidariedade.

E essa agora é a via crucis. As pessoas tem que se acostumar com o fato de que tem alguém na turma (e na família) que não come carne vermelha. Outro dia mesmo eu fui numa reunião na casa de uns amigos e um deles levou 80 esfihas. TODAS de carne. Pedi uma pizza... É, as vezes dá um certo desconforto.

Não sei, pode ser que daqui um tempo eu volte a comer. Por enquanto, nada que me impessa de ir a um churrasco, churrasco... e no mínimo me entupir de pão com vinagrete enquanto elogio o filet mignon.

20 Comments:

Blogger mc said...

EU!!!!!

10:03 AM

 
Blogger Cláudia said...

ooooiiiii!!!!!!
Cheguei também!!!!
Gastón, eu confesso que eu olho meio de lado pra um cara que declara que não come carne vermelha, sabe?
Sei que é uma coisa meio machista, mas a gente cresce com esses conceitos e só muda depois que a gente conhece a pessoa pra valer.
Mas tudo tem suas vantagens né? Como fazer cara de coitadinho incompreendido que as mulheres adoooooram consolar!

10:06 AM

 
Blogger mc said...

Pronto, agora que eu li o post, posso comentar.
Não entendo essa coisa de bodear totalmente de carne. Eu adoro churrasco, mas também não sou uma carnívora que traça qualquer tipo de carne, ainda mais se for sangrando. Eca...
Mas ninguém nunca me viu recusar um pão com vinagrete!!!

10:06 AM

 
Blogger maureis said...

E engraçado que esses anúncios oficiais normalmente ocorrem num evento cheio de gente, onde existe mta carne... ou apenas carne, e não numa cantina italiana, por exemplo, mesmo que no cardápio seja sujerido aquela macarronada à bolonhesa e tal.

10:14 AM

 
Anonymous Rodolfo said...

Pura verdade: churrasqueiros sempre falam o nome da carne no diminutivo e o nome do amigo no aumentativo. Os professores de academia também: sempre falam o nome os movimentos dos exercícios no diminutivo e chamam todos os alunos no aumentativo. Isso leva a pensar que esses sujeitos podem ser a mesma pessoa. Um te enche de carne, aumenta sua pança e o outro vem pra diminuir. Resumindo: quem envenena venda sempre o antídoto. E me vê uma bem passada.

10:19 AM

 
Anonymous nervous said...

Gastón!!!? Hombre!?
Começaste o blog com blasfemias!! Divertidíssimas! Adorei o texto. Sarcástico e realista em doses exatas. Se seguir uma ordem natural, no proximo texto, o assunto deveria ser as nossas indispensáveis, belas e complexas figuras femininas. Las chicas! Mal-passadas, quase cruas por favor.
Parabens pelo design e conceito.

gde abraço e viva la carnita!

10:22 AM

 
Anonymous Feibersss said...

Gastonildo....isso ja me passou pela cabeça. Nao sou um carnivoro nervoso, que ama carne. Gosto as vezes. Mas ia ser foda ficar sem hamburger.....
Mas queria ver os efeitos da abstinencia "carnal" no corpo... depois vc me conta.
see ya

10:50 AM

 
Blogger Gastón said...

Bem vindo a todos. E obrigado pelos comentários. é sangue correndo nas veias de novo :0)


Rânei, vc ganhou. Agora fique torturando as outras. Pois é, um belo dia você acorda e fica de bode de carne. Sei lá, de vez en nunca é até bom comer um pouco. Mas vou te dizer que não é agradável.

Clau, que papo é esse de olhar meio de lado pra homem que não come carne? Você curte um caçador de mamute... ok, i know.

Mauricião, ilustríssimo comentarista do meu primeiro post. Pois é meu chapa, a gente vai prorrogando o anúncio até que alguém acaba descobrindo enquanto te empurra uma alcatra mal passada.

Rodolfão :0)

Pois é meu velho. eu agora tô na fase de eliminar os malefícios. O Junião já me passou a série e eu tô fazendo um abdominalzinho.

Nervolitos, gostaste? Si hombre, mujeres serão assunto aquihoje e sempre. Pero sin perder la ternura.

Fabito, algumas mudanças são notórias. A textura da pele muda, seu cheiro muda, seu xixi muda...
Mas você percebe muito isso quando resolve comer um pouquinho de carne de novo um dia. Eh gritante.

11:19 AM

 
Anonymous carol miranda said...

Lelito, considerando que já passou por um período de abstinência alcóolica, vou concordar com "um período" sem carne... Porque pizza de calabreza é muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom!!!

11:58 AM

 
Anonymous sua fã nº 1 said...

Gaston, vc tem namorada?
bjo bjo ;)

12:17 PM

 
Blogger Michel said...

Eu fui vegeta por uns três anos, até ir trabalhar na churrascaria Rodeio aqui em SP. Foi uma tortura, pois tinha que almoçar com vários fulanos e o óbvio COMER CARNE. Agora estou comendo até carne crua, una mierda.

Abração
vou te linkar lá no hotable.

12:24 PM

 
Blogger Gastón said...

Cacá, quem é Lelito? ;0)
Pois é, num passado distante eu fiquei uns tempos sem alcoól.
Mas da marvada eu não largo mais não.

Minha fã numero 1, namorada eu não tenho nao. Mas tenho uma ex de uns 8 anos atrás que é um espetáculo ;0)
Bjo lindona.

12:24 PM

 
Blogger Gastón said...

Graaaaande Michel, bem vindo :0)
Cara, trabalhar numa churrascaria é tortura máxima no último grau.
Porque cheiro de churrasco é foda...

Eu já não sinto os efeitos, mas todo dia, 8 horas por dia é sacanagem...

12:27 PM

 
Blogger MH said...

adorei adorei adorei adorei!
Bom demais o texto, pura verdade. Vou concordar com a hermana, não ando super carnívora mas churrasco churraaasco eu não recuso.
Quem sabe vc me ajuda a encontrar um veggie burger descente nessa cidade? Até agora só encontrei decepções!

12:42 PM

 
Blogger MARCIA said...

Ah... vc já exerimentou churrasco de cogumelos portobelas? Dilicia!
Veja aqui ó: http://www.flickr.com/photos/marciamalaguti/184770766/
Mas nem por isso eu abro mão da carninha...

2:55 PM

 
Anonymous pedro moraes said...

Sofro os dois dramas citados (um passou despercebido): ser discriminado por não comer carne e ser chamado de pedrão (eis um nome neandertal)

3:09 PM

 
Blogger Gastón said...

EMIAGÁ!!!!
Que bom que vc está por aqui querida. Aliás, fizemos sua despedida e agora faça o favor de arrumar um happy hour para a sua reinclusão na sociedade blogueira paulistana.


Marcia, cambiaste mi vida chica. Como assim Portobelo na churrasqueira? Putz, será que dá pra fazer no George Foreman Grill? deve ser muito bom!!!

Pedro, é só não servir churrasco meu amigo. Ainda vou escrever sobre os aumentativos de nome. O seu será citado.

3:49 PM

 
Blogger Ju... said...

Gaston,
Cá estoy, caro, fiel como una perra.
Adorei o post inaugural mas dizem as más línguas, que homem que não come carne vermelha também não come carne amarela, nem branca, nem negra. Sei lá. Só ouvi dizer.
Besos,

4:57 PM

 
Blogger mc said...

Gastón,
tá vendo que sucesso seu blog no primeiro dia? Devia ter lançado antes...
Me deu uma vontade desumana de comer churrasco!!!!
bjs

5:05 PM

 
Blogger Gastón said...

Ju,
Já não era sem tiempo não?
Bom, se você ouviu dizer isso sobre hombres que não comem carne vermelha, na verdade ó problema é el hombre e não la carne ;0)

De minha parte como e repito. All colors.



Rânei,

Cê viu só? Bombou de gente aqui hoje. Mas eu fiz minha propaganda né...

5:13 PM

 

Postar um comentário

<< Home

 
web site hit counter